28/02/2024

Analistas refazem previsões e já preveem Selic a 11% até o fim do ano

Após o Comitê de Política Monetária decidir por uma redução maior da taxa básica, de 0,5 ponto percentual, especialistas apostam em um novo ciclo na economia brasileira. Eles acreditam, ainda, em um distensionamento entre o governo Lula e o Banco Central

Após o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, anunciar, ontem, uma redução da taxa básica da economia (Selic) acima do esperado pela maioria do mercado, analistas começaram a refazer as previsões. A mediana das estimativas para os juros básicos no fim deste ano, atualmente em 12%, tende a ficar cada vez mais perto de 11% anuais.

O Copom reduziu, nesta quarta-feira (02/08), a Selic em 0,50 ponto percentual, para 13,25% ao ano, marcando o início de um novo ciclo de queda dos juros básicos, que estavam 13,75% anuais desde agosto de 2022. A decisão não foi unânime, mas o BC sinalizou que haverá consenso para novos cortes da mesma magnitude nas próximas reuniões.

Esse recado — apesar de o placar apertado de 5×4 —, deixou analistas mais otimistas e esperando uma reação positiva do mercado financeiro nesta quinta-feira (03/08). O EZW, índice de fundo negociado em Nova York que reflete o comportamento de ações do Índice Bovespa — principal indicador da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) — registrava alta de 1,30% após o fechamento com queda de 0,75%.

Outro motivo para essa visão mais otimista foi o fato de o presidente do BC, Roberto Campos Neto, ter votado pelo corte de 0,50 ponto percentual na Selic, em linha com os dois novos diretores indicados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Gabriel Galípolo (Política Monetária) e Ailton de Aquino Santos (Fiscalização).

“Era possível uma redução de 0,50 ponto percentual na Selic. Isso não era impossível de acontecer. Mas o interessante da decisão foi que, apesar da divergência nos votos, agora, há uma unanimidade em torno de 0,50 ponto a partir da próxima reunião. Isso distensiona e coloca bastante tranquilidade pelo que vem pela frente”, destacou Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados.

Trégua política

Na avaliação dele, o BC pode, agora, deixar de lado a tensão que havia no primeiro semestre, sem ter um “risco técnico”. “O nosso cenário para a Selic no fim deste ano era de 12,25% e, agora, passa para 11,75%, mas mantemos a projeção de 9,25% para o fim do ano que vem. E, agora, espero uma relação mais tranquila entre governo e BC do que foi no primeiro semestre”, acrescentou.

“A briga, agora, vai ser interessante sobre o final do processo de redução dos juros, com mais dois membros provavelmente heterodoxos podem acelerar a queda de juros e aí vamos contratar problemas para 2025”, emendou Vale. Ele lembrou que os mandatos da diretora de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos , Fernanda Guardado; e do diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta, Maurício Moura; terminam em dezembro deste ano.

“Campos Neto confirmou ser um bom estrategista e preservar a reputação do Banco Central e evitar ruídos de desgaste. Um membro técnico da diretoria, ou seja, ele próprio, votou e desempatou a favor dos 0,50, o mesmo voto de Galípolo”, destacou Eduardo Velho, economista-chefe da JF Trust. Ele aposta em novo corte de 0,50 ponto na Selic na reunião de setembro, para 12,75%.

Rodrigo Romero, economista da Levante Investimento, também demonstrou otimismo em relação à reação dos mercados hoje. “O comitê reforçou a necessidade de manter uma política monetária contracionista até a consolidação do processo de desinflação e ancoragem das expectativas. Os mercados devem reagir bem, com impulso extra vindo do voto favorável de Campos Neto na direção de um corte de 0,50 p.p e não 0,25p.p como era amplamente esperado pelo mercado, validando ainda mais a tese de flexibilização nesse momento”, disse.

O economista-chefe do PicPay, Marco Caruso, reconheceu que havia um consenso no mercado de que as condições para o cortes de 0,25 ponto ou de 0,50 ponto na Selic estavam dadas, se não fossem as críticas de Lula à autonomia do Banco Central – que acabaram desancorando as projeções de inflação do mercado. “Hoje, as estimativas para a inflação são muito parecidas com as do início de janeiro, antes das falas do presidente”, destacou.

Arcabouço fiscal

Conforme dados do boletim Focus, do Banco Central, a mediana das previsões para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2023 e 2024 estão em 4,84% e 3,89%, respectivamente. Caruso, contudo, reconheceu que há incertezas sobre como o governo vai conseguir cumprir as metas previstas no novo arcabouço fiscal nos próximos anos, pois a necessidade de novas receitas pode contribuir para pressões inflacionárias. Além disso, é importante não descartar o impacto do fenômeno El Niño de alta nos preços das commodities em 2024.

Na avaliação do economista-chefe da Daycoval Asset, Rafael Cardoso, “não ficou muito claro” que o argumento prevaleceu entre os diretores do BC para decidir pela queda de 0,50 ponto percentual no próximo Copom, mas ele espera que o ritmo de redução seja mantido nas próximas reuniões. A casa reduziu de 12% para 11,75% a previsão para a Selic no fim deste ano e manteve em 9% a projeção para o fim de 2024

De acordo com André Perfeito, ex-economista-chefe da Necton Investimentos, o afrouxamento final da Selic deverá ser maior do que o mercado espera, devendo encerrar o ano em 11,75%. “Fatalmente, o ciclo se encerra já no começo do ano que vem, quando a Selic deve estar em 10,75%, taxa que ainda deve ser considerada contracionista. O fato de Campos Neto e Galípolo terem votado juntos evita problemas de conflitos internos na diretoria do Banco Central e na condução da política monetária”, apostou.

Reunião do Copom que decidiu pela redução da Selic: nova fase na economia – (crédito: Raphael Ribeiro/BCB)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Minha casa minha vida (Tuca Melges - Estadão Conteúdo)
O Ministério das Cidades está preparando a aquisição de energia sustentável para os lares do programa Minha Casa, Minha Vida
SAUDE
Planos de saúde têm 900 queixas por dia; saiba o motivo
Vaca leiteira é preparada para exposição durante primeiro dia da Agroleite
Alto custo na criação de vacas causa prejuízo para produtores de leite
megasena
Uma aposta ganha prêmio de mais de R$ 40 milhões da Mega-Sena
Com justificativas vazias para aumentar cobranças, companhias aéreas veem reclamações explodirem
Com justificativas vazias para aumentar cobranças, companhias aéreas veem reclamações explodirem
Tebet: Precisamos achar recurso para pagar salário mínimo de R$ 1.421
Tebet: Precisamos achar recurso para pagar salário mínimo de R$ 1.421
Operação Guarujá
Presidente do TJ-SP suspende decisão que obriga todos os policiais da Operação Escudo a usar câmeras corporais
ECO
Banco do Brasil levanta quase US$ 1 bilhão para projetos ambientais
JUROS
BC volta a reduzir taxa de juros em 0,5 ponto percentual, para 12,75%
ECO
Shein cobre ICMS de compras de até US$ 50 a partir desta terça
BALANÇA
Exportações crescem 17,2% até a terceira semana de setembro, diz MDIC
DINHEIRO
Governo prevê recuperar R$ 46 bilhões em débitos da Dívida Ativa em 2024

Faço da prioridade da população a minha prioridade.

Bem articulado com todos os Poderes de Novo Gama, dentre eles o Executivo,  com DF e demais município do Entorno, Renato Caldas mostra a que veio. Renato Caldas é reconhecido como um dos vereadores mais atuantes de Novo Gama. Sua dedicação e comprometimento com a comunidade são admiráveis, sempre buscando

Leia mais...

Combate à dengue é tema de quatro cursos online para servidores

Formações são indicadas para profissionais da educação e da saúde. As aulas são gratuitas e online, podendo ser assistidas a qualquer momento pelos participantes A Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs) oferece quatro cursos relacionados ao combate à dengue para servidores da saúde e da educação. As capacitações são

Leia mais...

DF ultrapassa um milhão de cadastros atualizados no SUS

Mais de 97% das atualizações do Recadastra SUS foram feitas presencialmente; com dados dos usuários mais confiáveis, a rede pública consegue otimizar a fila de espera por exames e consultas Sete meses após lançar a campanha Recadastra SUS, o Distrito Federal chegou a 1.054.928 cadastros atualizados no Sistema Único de

Leia mais...

Caesb disponibiliza serviço gratuito de autoleitura de hidrômetros

Todos os clientes da companhia podem aderir à iniciativa, especialmente aqueles que não conseguem receber leiturista em casa durante o dia Pensando no conforto e bem-estar dos brasilienses, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) disponibiliza o serviço de autoleitura, no qual o próprio usuário fornece a leitura

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.