20/06/2024

Caso Jehan: MP pede que pena do autor do crime seja aumentada de 12 para 22 anos de prisão

Paulo Victor, que matou Jehan Paiva em 2013 (Foto: Reprodução)

Crime aconteceu em 2013. Paulo Victor de Sousa Gomes foi condenado em sentença prolatada no dia 25 de março deste ano

Em recurso protocolado no dia 2 de abril, o promotor Eliseu Antônio da Silva Belo solicitou o aumento da pena imposta pela Justiça ao médico veterinário Paulo Victor Sousa Gomes, condenado por matar o estudante de Odontologia Jehan Paiva durante uma discussão por causa de chope em uma festa universitária no dia 7 de junho de 2013, em Anápolis.

Inicialmente, a sentença condenatória prolatada em 25 de março fixou a pena final em 12 anos de reclusão, com cumprimento de pena em regime incialmente fechado. O Ministério Público requer que seja de 22 anos por entender que a juíza “cometeu alguns erros”, no processo de dosimetria.

O primeiro argumento do promotor é o de que a Justiça deve considerar que “em certa medida, houve premeditação e planejamento no uso de arma branca pelo réu [um canivete, utilizado para golpear o tórax de Jehan]” em razão do fato de Paulo Victor ter ido armado à festa.

O segundo argumento é o de que a gravidade das circunstâncias do crime enseja uma pena mais severa, uma vez que outros estudantes, crianças e idosos testemunharam o momento em que a vítima foi atacada e escorreu sangue pelo chão, o que traumatizou os presentes.

O terceiro argumento diz respeito à gravidade das consequências do crime. “Não foi destruída apenas a vida da vítima, mas, em grande medida, os planos legítimos de uma família toda, que havia permitido que Jehan saísse de Itapaci apenas para cursar Odontologia aqui nesta cidade de Anápolis, com o objetivo claro de se formar e ser um dentista, seguindo o exemplo de vida do seu próprio pai, o senhor José de Paiva”, diz o promotor.

“Imaginar que tais aspectos não sejam consequências gravíssimas do crime é estar desprovido do mais singelo sentimento de compaixão pela dor alheia, bem como cego a todos esses elementos que têm real importância”, complementa Eliseu.

O quarto argumento do representante do Ministério Público é o de que a confissão não pode ser usada como atenuante da pena, porque já havia um conjunto de provas e elementos suficientes para comprovar a autoria do crime, mesmo que Paulo Victor não se confessasse.

Tribuna Livre, com informações do Ministério Público do Estado de Goiás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Equatorial Goiás alerta importância do registro de falta de energia
Equatorial Goiás alerta importância do registro de falta de energia
Governo prepara estratégia para proteger Araguaia da pesca ilegal e do lixo
Governo prepara estratégia para proteger Araguaia da pesca ilegal e do lixo
Preço de produtos típicos de festa junina varia até 213% entre lojas de Goiânia
Preço de produtos típicos de festa junina varia até 213% entre lojas de Goiânia
PF deflagra nova fase de operação contra ‘rota caipira’ do tráfico, que passa por Goiás
PF deflagra nova fase de operação contra ‘rota caipira’ do tráfico, que passa por Goiás
Homem pega carro após briga familiar, fura dois bloqueios da PRF em Goiás e é preso
Homem pega carro após briga familiar, fura dois bloqueios da PRF em Goiás e é preso
Caiado inaugura Hospital de Águas Lindas de Goiás e população já recebe atendimento
Caiado inaugura Hospital de Águas Lindas de Goiás e população já recebe atendimento
Carimbos encontrados com homem preso em Goiânia eram de psiquiatras e neurologistas
Carimbos encontrados com homem preso em Goiânia eram de psiquiatras e neurologistas
TJ-GO anula processo contra médico condenado por racismo após publicar vídeo de homem negro acorrentado
TJ-GO anula processo contra médico condenado por racismo após publicar vídeo de homem negro acorrentado
Justiça expede mandado de prisão contra Maurício Sampaio
Justiça expede mandado de prisão contra Maurício Sampaio
Falso sequestro no setor Jaó: polícia prende um dos envolvidos
Falso sequestro no setor Jaó: polícia prende um dos envolvidos
Grupo Equatorial Energia prorroga campanha em parceria com a CUFA para arrecadar R$ 1 milhão para o RS
Grupo Equatorial Energia prorroga campanha em parceria com a CUFA para arrecadar R$ 1 milhão para o RS
Após 29 anos de espera começa a construção de hospital em Novo Gama
Após 29 anos de espera começa a construção de hospital em Novo Gama

Leilão de arroz: presidente da Comissão de Agricultura fala em fraude

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, prestou esclarecimentos à Comissão na Câmara sobre leilão para compra de arroz feito pelo governo O presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), chamou o leilão de arroz realizado pelo governo federal de “esquema fraudulento”. O

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.