21/06/2024

Lula é uma fantasia coletiva de metade dos brasileiros

Um dos fundadores do PT o achava “meio farsante”, “um oportunista”. O intrigante é como tanta gente do PT e de fora do PT acredita em Lula

Depois que Lula fez exatamente o que disse que faria, presentear o seu advogado de defesa com uma cadeira de ministro do STF, muita gente espantou-se (ou fingiu espanto) por ele ter contrariado o que afirmara na campanha: que não nomearia um chapa seu para a mais alta corte do Judiciário, como fez Jair Bolsonaro (“nomear” é o verbo que corresponde à realidade, “indicar” é o verbo da fantasia constitucional brasileira).

Não há porque espantar-se com Lula. Nunca existiu princípio de impessoalidade para ele. Nem como líder sindical, nem como chefão de partido, nem como presidente da República. Lula é uma pessoa cuja única finalidade está em si própria — em atender, acima de tudo, às suas próprias conveniências.

É fato sabido, provado, registrado, mas estranhamente deixado de lado por metade dos brasileiros. Um dos fundadores do PT, por exemplo, o sociólogo Francisco de Oliveira, que depois se filiaria ao PSol (era de esquerda de verdade) deu uma entrevista ao programa Roda Viva, em 2012, que causou imenso desconforto entre os petistas. Ele disse que “Lula é muito mais esperto do que vocês pensam. O Lula não tem caráter, ele é um oportunista”. Francisco de Oliveira também afirmou: “Se ele quiser, que me processe. O Lula é uma vocação de caudilho, a antessala do ditador”. Ou seja, a defesa que o atual presidente da República fez do tirano da Venezuela, Nicolás Maduro, é expressão límpida do seu pensamento. E também das suas ações passadas, ora bolas, porque ele sempre foi apoiador declarado do regime chavista, que causou a diáspora de 7 milhões de venezuelanos. Onde está a surpresa?

Francisco de Oliveira morreu em 2019, na crença de que Lula não havia roubado dinheiro público. Mas, como homem de esquerda experimentado na militância política e provado pela tortura da ditadura militar, ele não nutria muitas ilusões. O seu depoimento para o livro 1964 – Do Golpe à Democracia, organizado por Angela Alonso e Natalia Dolhnikoff, é mais do que o relato de uma testemunha da história. Francisco de Oliveira foi um protagonista da história que, no final da vida, não tinha mais nada a perder, porque não tinha nada a ganhar.

Nos trechos que destaco abaixo, o sociólogo desfaz a mitologia criada em torno de Lula e do Comício da Vila Euclides, no final da década de 1970, episódio considerado capital para a luta pela redemocratização e que lançou o então líder metalúrgico Lula para a cena nacional. Entre outras coisas, Francisco de Oliveira diz que “quem derrotou a ditadura foi a classe média”. Sim, a classe média tão espinafrada pelo PT. Leia:

“Eu nunca achei que o Lula fosse o caminho da revolução, aliás, quem acertava em cheio no Lula era o Roberto Freire, o ‘partidão’ nunca apostou no PT. Um pouco por ciumeira, porque o PT passou o trator. Um pouco porque, como se dizia antigamente, o ‘partidão’ tinha uma teoria sobre o Brasil, coisa que o PT não tem e nunca teve, e nessa teoria sobre o Brasil o Lula não se encaixava bem. Eles nunca apoiaram o PT.

“Eu estava mais para o lado do ‘partidão’, embora nunca tivesse entrado no partido, achava o Lula um pouco farsante. Para mim era muito estranho que um líder operário não conhecesse a história operária. Ele não conhecia nada, nem conhece, na verdade ele foi empurrado para lá pelo irmão dele, que o povo chamava de Frei Chico. Esse era militante. O Lula não.”

 “Direi uma coisa heterodoxa: quem menos liderou a redemocratização foi a classe operária. É que a gente, por causa do velho Marx, tem essa adulação. Quem derrotou a ditadura foi a classe média. Derrotou não como classe, derrotou entrando no MDB, derrotou fazendo todo tipo de política que era possível fazer, não foi a classe operária, isso é uma adulação boba, e já está na hora, não de desfazer qualquer coisa, mas de entender o movimento real da história que houve no Brasil. Você não tinha grandes movimentações.

“Quando chegou ao auge em que essa panela já borbulhava por fora, aí você tem o Comício de Vila Euclides, mas, se você olhar antes o trajeto, peguem fotografias da época, quem está liderando as passeatas? Ulysses Guimarães, Fernando Henrique, são eles que estão lá na frente. Mesmo porque a visibilidade política dessa fração da classe média sempre foi maior. Mas nos momentos de auge, no famoso Comício da Vila Euclides, aí se projetam também outras imagens. Mas na maior parte dos casos, sem nenhum desdouro, as figuras eram da classe política.”

O que me intriga, e sempre vai me intrigar, é como tanta gente do PT e de fora do PT acredita há tanto tempo piamente em Lula e ainda se espanta (ou acha que dá para fingir espanto) com o que ele diz que vai fazer e faz. Lula é uma alucinação coletiva permanente de um terço dos brasileiros e de metade deles há várias eleições.

Não há porque espantar-se com Lula. Nunca existiu princípio de impessoalidade para ele. Nem como líder sindical, nem como chefão de partido, nem como presidente da República. Lula é uma pessoa cuja única finalidade está em si própria — em atender, acima de tudo, às suas próprias conveniências.

Foto: PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
INTERNAC
Chanceler da Ucrânia comete gafe após reunião entre Zelensky e Lula
OITO DE JAN
8 de janeiro: veja quem são os próximos seis réus do julgamento no STF
FUTEBOL
Goleiro que marcou gol na Champions tem mística com número 94; entenda
Sete trabalhadores são intoxicados por gás em galpão de logística em Goiânia
Sete trabalhadores são intoxicados por gás em galpão de logística em Goiânia
Janja apaga post com dança após críticas por ausência de Lula no RS
Janja apaga post com dança após críticas por ausência de Lula no RS
Mourão conversa com Novo após Republicanos entrar no governo Lula
Mourão conversa com Novo após Republicanos entrar no governo Lula
Polícia Federal aceita acordo de delação premiada de Mauro Cid
Polícia Federal aceita acordo de delação premiada de Mauro Cid
Rio Grande do Sul deve ser atingido novamente por temporais, com o avanço de nova frente fria
RS deve ser atingido novamente por temporais, com o avanço de nova frente fria
Decisão do STF não autoriza guardas municipais a abordar e revistar pessoas
Decisão do STF não autoriza guardas municipais a abordar e revistar pessoas
Com apoio da deputada distrital Jaqueline Silva: Mais de 700 luminárias de LED são instaladas em Santa Maria
Mais de 700 luminárias de LED são instaladas em Santa Maria
GDF vai ampliar mandato da Junta Comercial para quatro anos
GDF vai ampliar mandato da Junta Comercial para quatro anos 
Casa da Mulher Brasileira tem três unidades em construção no DF
Casa da Mulher Brasileira tem três unidades em construção no DF

Leilão de arroz: presidente da Comissão de Agricultura fala em fraude

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, prestou esclarecimentos à Comissão na Câmara sobre leilão para compra de arroz feito pelo governo O presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), chamou o leilão de arroz realizado pelo governo federal de “esquema fraudulento”. O

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.