28/02/2024

Milei, recém-eleito na Argentina, estreita laços com Bolsonaro e ignora Lula.

Tomas Cuesta/Getty Images

Enquanto Lula considera a possibilidade de enviar um representante para a posse de Milei, o presidente eleito convidou Jair Bolsonaro para a cerimônia.

Após a vitória nas eleições do último domingo (19/11), o economista e deputado Javier Milei (Libertad Avanza) está se preparando para assumir a Presidência da Argentina em dezembro. As declarações e gestos tanto do lado brasileiro quanto do argentino indicam como deve ser a relação entre os países vizinhos diante da mudança de gestão na Argentina.

Poucas horas após a vitória, nesta segunda-feira (20/11), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) divulgou o trecho de uma ligação de vídeo que recebeu de Javier Milei. No contato, o presidente eleito convidou o ex-mandatário brasileiro para comparecer à posse, marcada para 10 de dezembro, em Buenos Aires. “Tenha certeza de que, para tudo que for possível fazer por você, estaremos à disposição”, afirmou Bolsonaro em um vídeo divulgado no X (antigo Twitter).

Entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Javier Milei não houve contato direto após a vitória. “Desejo boa sorte e êxito ao novo governo. A Argentina é um grande país e merece todo o nosso respeito. O Brasil sempre estará à disposição para trabalhar junto com nossos irmãos argentinos”, comentou o petista nas redes sociais, sem citar o presidente eleito.

Lula decidiu não ir à posse do argentino. Ele ainda avalia qual substituto enviará no lugar, se o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, ou o chanceler Mauro Vieira. A decisão estaria relacionada com ofensas proferidas pelo argentino, que chegou a chamar Lula de “presidiário comunista” e “corrupto”.

Ricardo Caichiolo, professor de relações internacionais do Ibmec Brasília, projeta mudança para a relação entre Brasil e Argentina com a ascensão do ultraliberal. Na avaliação do especialista, a relação não será tão próxima como é atualmente, ou como seria caso o rival Sergio Massa (Unión por la Patria) tivesse vencido o pleito.

“Isso não significa dizer que esse desalinhamento ideológico vá impactar de forma negativa a relação entre os dois países. Na verdade, o que prevalece, em grande medida na relação entre os Estados, é o pragmatismo”, avalia.

O professor ainda destaca que muito do que Milei defendeu durante a campanha depende de acomodação de interesses internos, além de ter que passar pelo crivo do Legislativo.

Ricardo, no entanto, prevê que algo negativo para o Brasil, e que tem chances de ocorrer, é a saída da Argentina do Mercosul, uma promessa de Milei.

O especialista acredita que Milei deve buscar aproximação com parceiros ideologicamente mais próximos, como o ex-presidente dos Estados Unidos (EUA) Donald Trump e, na América do Sul, o Uruguai e o Paraguai.

Nessa segunda-feira (20/11), segundo o jornal argentino Clarín, Milei anunciou que a primeira viagem como presidente eleito será para EUA e Israel. O roteiro, explicou, tem uma “conotação mais espiritual que outras características”. A iniciativa rompe, mais uma vez, uma tradição diplomática entre Brasil e Argentina — o mesmo ocorreu quando Bolsonaro elegeu-se presidente, em 2018, e priorizou visitar o Chile, e não o território argentino.

“Pode haver essa aproximação mais por causa dessa ideologia em nível político. Quando a questão é econômica e comercial, a Argentina vai continuar dependendo do Brasil e da China”, analisa Ricardo. “Ele vai ter de remodelar esse discurso, porque isso afeta, em grande medida, os interesses do empresariado argentino.”

Pedro Costa Júnior, cientista político e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), reforça que a China e o Brasil são os dois maiores parceiros comerciais da Argentina. Mas, para ele, a relação que se espera é fria e com dificuldades para sentar à mesa de negociações.

“O Milei está em uma estrutura maior, que é de influência da alt right, em que se insere o Bolsonaro e o Trump, por todas as declarações que ele deu em relação à política externa argentina, com a proximidade aos EUA e a rejeição ao Brasil, à China, ao Brics e ao Mercosul”, pontua.

O pesquisador pondera que entre as propostas e o que Milei vai conseguir fazer de fato “há um abismo”. “Ele vai ter de se sentar na cadeira, e a realidade é diferente. Ele vai ter

Tribuna Livre, com informações da Agência Estado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Controvérsia de Lula com Israel ameaça ofuscar plano do Brasil para o G20?
Controvérsia de Lula com Israel ameaça ofuscar plano do Brasil para o G20?
Após comentários de Lula sobre o Holocausto, a oposição pede impeachment e o governo se declara 'indignado' com Israel
Após comentários de Lula sobre o Holocausto, a oposição pede impeachment e o governo se declara 'indignado' com Israel.
Fala de Lula sobre Israel e o Holocausto é 'ignorante' e 'deve ser condenada': as reações na imprensa israelense
Fala de Lula sobre Israel e o Holocausto é 'ignorante' e 'deve ser condenada': as reações na imprensa israelense
'Putin matou meu marido', diz viúva do opositor russo Navalny
'Putin matou meu marido', diz viúva do opositor russo Navalny
Russos seguem fazendo manifestações em memória do opositor Navalny
Russos seguem fazendo manifestações em memória do opositor Navalny
Ministro israelense declara que Lula é persona non grata em Israel
Ministro israelense declara que Lula é persona non grata em Israel.
Netanyahu diz que terá "dura conversa de repreensão" com embaixador do Brasil
Netanyahu diz que terá "dura conversa de repreensão" com embaixador do Brasil
Alexei Navalny, um dos principais opositores de Putin, falece na prisão
Alexei Navalny, um dos principais opositores de Putin, falece na prisão.
Rússia emite mandados de busca e prisão contra líderes europeus; veja quem
Rússia emite mandados de busca e prisão contra líderes europeus; veja quem
Condenado à prisão perpétua homem envolvido na morte do presidente do Haiti
Condenado à prisão perpétua homem envolvido na morte do presidente do Haiti.
Na Venezuela, uma comitiva liderada por María Corina foi alvo de um ataque com paus e pedras
Na Venezuela, uma comitiva liderada por María Corina foi alvo de um ataque com paus e pedras.
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta sobre o ressurgimento global da dengue
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta sobre o ressurgimento global da dengue.

Nomeados mais 83 agentes de Vigilância Ambiental

Convocação dos novos servidores aprovados foi publicada no DODF desta terça-feira (27) Na edição desta terça (27) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), o GDF publicou 83 novas nomeações para o cargo de agente de Vigilância Ambiental em Saúde. A convocação é destinada a preencher os 150 cargos previstos

Leia mais...

Portaria reforça regras para uso correto do Cartão Mobilidade no DF

Orientações da Secretaria de Transportes e Mobilidade estão publicadas na edição desta terça-feira (27) do DODF O uso do Cartão Mobilidade pelos passageiros do Sistema de Transporte Público Coletivo está regulamentado pela Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) em portaria publicada na edição desta terça-feira (27) do Diário Oficial do

Leia mais...

Faço da prioridade da população a minha prioridade.

Bem articulado com todos os Poderes de Novo Gama, dentre eles o Executivo,  com DF e demais município do Entorno, Renato Caldas mostra a que veio. Renato Caldas é reconhecido como um dos vereadores mais atuantes de Novo Gama. Sua dedicação e comprometimento com a comunidade são admiráveis, sempre buscando

Leia mais...

Combate à dengue é tema de quatro cursos online para servidores

Formações são indicadas para profissionais da educação e da saúde. As aulas são gratuitas e online, podendo ser assistidas a qualquer momento pelos participantes A Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs) oferece quatro cursos relacionados ao combate à dengue para servidores da saúde e da educação. As capacitações são

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.