17/04/2024

Reforma tributária: estudo prevê alta de 60% nos impostos da cesta básica

Levantamento da associação de supermercados mostra elevação dos tributos em praticamente todos os Estados

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) estima que, com a reforma tributária em tramitação no Congresso Nacional, os impostos incidentes sobre os produtos da cesta básica vão aumentar, em média, 60% no país. Se consideradas as regiões, o Sul terá a maior alta nos impostos, de 93,5%, e o Centro-Oeste, de 69,3%.

Esses números estão num estudo da Abras sobre a reforma e foram entregues pelo presidente da instituição, João Galassi, ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e ao secretário especial para a reforma tributária, Bernard Appy, no sábado, durante reunião em São Paulo.

O estudo da Abras considerou uma alíquota reduzida de 50% sobre os produtos da cesta básica e um imposto único de 25%, como prevê a proposta de reforma. O texto prevê que 1.380 itens terão tributação de 50% da alíquota que será aplicada a bens e serviços.

O levantamento mostra ainda que aumento dos impostos da cesta básica nas demais regiões: de 55,5% no Sudeste, 40,6% no Norte e 35,8% no Nordeste.

À exceção de dois Estados — Roraima e Sergipe — haveria aumento dos impostos em todas as demais unidades da Federação. O maior prejudicado seria o Paraná, com alta superior a 160%, seguido de Alagoas (130,4%), Goiás (90,4%) e Rio de Janeiro (88,8%).  

O presidente da Abras disse, depois do encontro com Haddad, que o aumento será “brutal” em todos os Estados. “Alguns produtos aumentam até 60%. Mas há Estados como o Paraná, que terão uma oneração maior, em que o aumento de impostos pode chegar a 161%. Poucos Estados podem ter ganho. Todos os estados têm aumento brutal.

Bernard Appy, secretário especial da reforma, disse que o estudo da Abras é incompleto e considerou apenas aspectos negativos do projeto.

“Não é que a reforma vai ter aumento de custo de 60% na cesta básica. Pelas contas deles, a carga tributária que incide sobre produtos da cesta básica é que vai aumentar 60%. Esse tipo de raciocínio desinforma”, afirmou Appy.

Porém, ao contrário do que afirmou o secretário, acusando a associação de desinformação, o estudo da Abras não diz que os produtos teriam aumento médio de 60%, mas a tributação sobre ele.

Sem apresentar nenhum cálculo, o secretário disse ter certeza de que o número mostrado pela Abras “é claramente superestimado” e que, na prática, haverá redução de custo para os impostos cobrados sobre os itens da cesta básica.

Apesar da fala de Appy, Galassi disse que Haddad “entendeu a necessidade dessa correção no texto da reforma”.

AbrasSecretário acusa Abras de ‘desinformação’ por estudo sobre a cesta básica

Foto: Abras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Minha casa minha vida (Tuca Melges - Estadão Conteúdo)
O Ministério das Cidades está preparando a aquisição de energia sustentável para os lares do programa Minha Casa, Minha Vida
SAUDE
Planos de saúde têm 900 queixas por dia; saiba o motivo
Vaca leiteira é preparada para exposição durante primeiro dia da Agroleite
Alto custo na criação de vacas causa prejuízo para produtores de leite
megasena
Uma aposta ganha prêmio de mais de R$ 40 milhões da Mega-Sena
Com justificativas vazias para aumentar cobranças, companhias aéreas veem reclamações explodirem
Com justificativas vazias para aumentar cobranças, companhias aéreas veem reclamações explodirem
Tebet: Precisamos achar recurso para pagar salário mínimo de R$ 1.421
Tebet: Precisamos achar recurso para pagar salário mínimo de R$ 1.421
Operação Guarujá
Presidente do TJ-SP suspende decisão que obriga todos os policiais da Operação Escudo a usar câmeras corporais
ECO
Banco do Brasil levanta quase US$ 1 bilhão para projetos ambientais
JUROS
BC volta a reduzir taxa de juros em 0,5 ponto percentual, para 12,75%
ECO
Shein cobre ICMS de compras de até US$ 50 a partir desta terça
BALANÇA
Exportações crescem 17,2% até a terceira semana de setembro, diz MDIC
DINHEIRO
Governo prevê recuperar R$ 46 bilhões em débitos da Dívida Ativa em 2024

Ceilândia ganha mais uma tenda para pacientes com suspeita de dengue

A partir desta terça (16), estrutura de acolhimento irá atender diariamente, das 7h às 19h, ofertando triagem, consultórios, farmácias e sala de hidratação Ceilândia recebe, nesta terça-feira (16), mais uma tenda de acolhimento a pacientes com dengue. A estrutura, localizada no estacionamento do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), realizará atendimentos

Leia mais...

Licitação do viaduto de acesso a Planaltina tem data marcada

Propostas serão entregues eletronicamente no dia 15 de julho; com investimento de R$ 65,6 milhões, obra viária vai beneficiar cerca de 90 mil motoristas, além dos ciclistas que trafegam pela região O Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) publicou nesta segunda-feira (15), no Diário Oficial do Distrito

Leia mais...

Rodrigo Pacheco, seus acertos, omissões e intromissões.

Com mais desacertos do que acertos, as pessoas de bem procuram entender aonde Pacheco quer chegar. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, pressionado tanto por Senadores quanto deputados, se viu obrigado a se manifestar  uma continuada tendência do Supremo Tribunal Federal (STF) em usurpar as atribuições dos parlamentares. A Pressão

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.