26/05/2024

Senado aprova em primeiro turno PEC que criminaliza porte e posse de drogas

Plenário do Senado Federal, em Brasília (DF) (Sergio Lima/Getty Images)

Proposta teve 53 votos a favor e 9 contra

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira, 16, por 53 a 9 a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que proíbe o porte e a posse de qualquer quantidade de drogas. Caso seja validado nos dois turnos pelo Senado, o texto segue para Câmara.

Por se tratar de uma PEC, o texto precisou de no mínimo 49 tocos favoráveis em dois turnos.

De autoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o projeto foi protocolado em setembro de 2023,  durante o julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre a descriminalização do porte da maconha. O avanço da matéria é visto como um recado do Senado ao STF. Senadores entendem que o Supremo está avançando em sua prerrogativa ao decidir sobre o tema.

O que vai mudar com a PEC das drogas?

A proposta torna mais rígido o entendimento em vigor, considerando crime a posse e o porte de drogas, sem autorização, como maconha, cocaína e LSD, independentemente da quantidade.

A PEC de Pacheco inclui no artigo 5º da Constituição o seguinte inciso:

“A lei considerará crime a posse e o porte, independentemente da quantidade, de entorpecentes e drogas afins sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar”.

O relator da matéria, senador Efraim Filho (União-PB), acrescentou no texto a orientação de diferenciação entre usuário e o traficante. A ideia é que sejam previstas penas alternativas à prisão e tratamento contra dependência.

O texto em análise não altera a atual Lei de Entorpecentes (Lei 11.343, de 2006), que já prevê a diferenciação entre traficantes e usuários. Foi essa lei que extinguiu a pena de prisão para usuários no país.

A redação da PEC a ser votada no Plenário do Senado diz: “A lei considerará crime a posse e o porte, independentemente da quantidade, de entorpecentes e drogas afins, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, observada a distinção entre traficante e usuário por todas as circunstâncias fáticas do caso concreto, aplicáveis ao usuário penas alternativas à prisão e tratamento contra dependência”.

Com isso, a proposta visa incluir na Constituição na Constituição que é crime a posse ou o porte de qualquer quantidade de drogas — como maconha, cocaína, LSD e ecstasy —, deixando a cargo da Justiça definir, de acordo com o conjunto de provas, se quem for flagrado com droga responderá por tráfico ou será enquadrado somente como usuário. Se ficar comprovado que tinha em sua posse substância ilícita apenas para uso pessoal, a pessoa será submetida a pena alternativa à prisão e a tratamento contra a dependência química.

Hoje, o porte de drogas por usuários é crime, mas foi despenalizada em 2006, ou seja, uma pessoa considerada usuária não é presa. Hoje, a Lei de Drogas (Lei 11.343/2006) prevê penas por porte que variam entre: Advertência sobre os efeitos das drogas; Prestação de serviços à comunidade; e Medida educativa de comparecimento à programa ou curso educativo.

O problema da lei, que foi levado ao STF, é sobre a diferenciação do usuário e traficante. Quando uma pessoa é abordada com drogas, a definição se ela é usuária ou traficante é realizada por um delegado de polícia — e posteriormente um membro do Ministério Público.

Com isso, pessoas com pequenas quantidades de drogas são enquadradas como traficantes e condenadas a prisão de acordo com a classe social ou cor. A pena para o tráfico de drogas é de cinco a 20 anos de prisão, além de multa.

De acordo com estudo da Associação Brasileira de Jurimetria (ABJ), apresentado pelo ministro Alexandre de Moraes em seu voto durante o julgamento do Supremo, existe diferenças na punição entre pessoas que portavam a mesma quantidade de maconha, mas apresentavam diferenças em relação à classe social, nível de escolaridade e localização geográfica.

Tribuna Livre, com informações da Agência Senado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Lula lança obras contra enchentes em Araraquara e exalta Edinho Silva
Lula lança obras contra enchentes em Araraquara e exalta Edinho Silva
SENADOTSE condena Flávio Bolsonaro e Zambelli por associar Lula a satanista
TSE condena Flávio Bolsonaro e Zambelli por associar Lula a satanista
MORO“Julgamento muito técnico, independente”, diz Moro após rejeição de cassação no TSE
“Julgamento muito técnico, independente”, diz Moro após rejeição de cassação no TSE
CÂMARACâmara aprova projeto que pune invasores de terra e atinge o MST
Câmara aprova projeto que pune invasores de terra e atinge o MST
Lira defende consenso pela desoneração da folha das municípios
Lira defende consenso pela desoneração da folha das municípios
Lula anuncia novas regras para renegociação de dívidas dos municípios
Lula anuncia novas regras para renegociação de dívidas dos municípios
'Maioria no Senado é favorável ao fim da reeleição' para o Executivo, diz Pacheco
'Maioria no Senado é favorável ao fim da reeleição' para o Executivo, diz Pacheco
Pimenta reconhece divergência com Leite
Pimenta reconhece divergência com Leite
Brasil Emprestou Valor Bilionário Ao FMI Após Ser Um Dos Maiores Devedores
Brasil Emprestou Valor Bilionário Ao FMI Após Ser Um Dos Maiores Devedores
Lula tem deficit quase igual ao da covid, mesmo sem pandemia
Lula tem deficit quase igual ao da covid, mesmo sem pandemia.
Ministério Público pede multa a Lula por pedir votos para Boulos
Ministério Público pede multa a Lula por pedir votos para Boulos
Senado pede ao STF suspensão de liminar para resolver desoneração
Senado pede ao STF suspensão de liminar para resolver desoneração

DF amplia malha cicloviária e chega a 687 quilômetros de pistas

‌Desde 2019, foram construídos 220,52 km; capital tem a segundo maior conjunto de vias para ciclistas no país. GDF trabalha para interligar trechos e aumentar a mobilidade da população A malha cicloviária do Distrito Federal tem aumentado nos últimos anos. Atualmente, ela tem uma extensão de 687,12 km, distribuída em

Leia mais...

Marinhas do Brasil e dos EUA realizam operação em apoio ao RS

Operação tem como objetivo transferir doações para as vítimas das enchentes no estado de maneira mais ágil A Marinha do Brasil (MB) conduz, na próxima segunda-feira (27/5), uma operação de apoio à população do Rio Grande do Sul em meio à situação de calamidade pública causada pelas enchentes. A ação

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.