24/04/2024

Amigos e parentes se despedem de Alexandre Ribondi, ícone do teatro do DF

Grande nome da cena cultural de Brasília, Alexandre Ribondi morreu no sábado (10/6), aos 70 anos, devido a complicações de um AVC

Grande nome da cena cultural de Brasília, o ator, dramaturgo, jornalista, professor e escritor Alexandre Ribondi morreu no sábado (10/6), aos 70 anos, devido a complicações de um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

“Perder Ribondi é se sentir pobre”

A atriz Iara Pietrikowski, 69 anos, é uma antiga amiga de Ribondi: “Meu relacionamento com Alexandre começou no final dos anos 1960, quando o desenvolvimento da cultura de Brasília estava muito centrado por conta de Laísa Derne, que liderou a formação dos artistas, atores, artistas plásticos que hoje estão na minha geração”.

A parceria que começou nos palcos se estendeu para a vida. “A gente carrega aqueles amigos que ficam dentro da gente, a gente vai carregando até o fim da nossa vida também porque eu sou o que eu sou, porque também encontrei o Ribondi na minha frente”, considera Pietrikowski.

A artista relembra do amigo como um homem muito consciente da vida no Brasil, que provocava e produzia arte com a acidez necessária. Por isso, o falecimento de Ribondi, que ocupava um “lugar insubstituível”, é também se “sentir mais pobre, é ficar com aquele vácuo”.

“Éramos como pai e filho”

Morillo Carvalho, de 38 anos, foi aluno e, “dois minutos depois”, se tornaram melhores amigos de infância. Na sequência, viraram sócios e abriram a Casa dos Quatro para iluminar a cena cultural de Brasília, onde trabalharam juntos nos últimos anos.

“O Ribondi me dava um trabalho do caramba porque a gente brincava que éramos pai e filho, numa relação no qual eu era o pai e ele era o filho. Era um brincalhão, uma das pessoas mais generosas que eu tive o prazer de conviver. Alguém capaz de refletir sobre todas as circunstâncias que nós vivemos em Brasília e no mundo, com criatividade, humor, generosidade, poesia”, diz Carvalho.

O amigo relembrou a importância do ator para o movimento LGBTQIAP+ no Brasil. Além de ter dedicado grande parte de sua carreira para tratar temas relacionados à causa, foi um dos fundadores do grupo homossexual Beijo Livre, na década de 1970, criado para ir contra a repressão contra pessoas da comunidade.

Por sua atuação artística e militância política, depois de ser preso e torturado, Alexandre precisou se exilar na Europa durante a Ditadura Militar, que durou de 1964 a 1985. Compreendendo a necessidade de sorrir após esse período da história do Brasil, passou a se dedicar nas comédias teatrais: “A gente tá aqui e, quando a gente lembra de alguma história, rimos. Pode observar, está todo mundo, mas em algum momento começa a rir”.

“O amor da vida de muita gente”

Sócio e ex-marido de Ribondi, Rui Miranda, de 58 anos, se despediu neste domingo do “maior piadista que já conheceu”. Eles se conheceram nos anos 90, em Portugal, quando o ator também atuava como jornalista, e depois seguiram suas vidas juntos.

Miranda relembra rindo que, durante uma viagem para Londres, pegaram uma mala por engano. Na hora de devolver, cercado por seguranças e funcionários do aeroporto, conseguiram ir embora “de fininho”.

“São muitas lembranças, muita coisa engraçada. A gente nunca tá preparado pra esse momento, inclusive ele era uma pessoa que não falava assim muito sobre a morte, evitava, mas é a única certeza que temos. Era uma pessoa muito querida e muito amorosa. Foi amor de muito tá gente aqui em Brasília, inclusive o meu”, fala.

“Uma Brasília que sente a falta dele”

Ludovico Ribondi, irmão do ator, diz que, mesmo com toda a dor por conta da perda, sente um certo alívio: “Estou assim mais leve porque o cara que estava lá na cama do hospital não era o Alexandre”.

“Desde 1977, ele estava aqui dizendo milhares de coisas. A marca dele está na cidade, não só no Plano Piloto, mas principalmente na periferia, com gente que ele trabalhou. Existem Brasílias e tem uma Brasília que sente falta dele”, considera.

Relembre a Trajetória de Ribondi

Ribondi nasceu no Espírito Santo, em 1952, e se mudou para Brasília em 1968. Estudou jornalismo na Universidade de Brasília e, em 1974, mudou-se para França, onde estudou História da Arte na Université de Provence. Passou os anos 1990 em Portugal, onde foi editor de polícia de um jornal em Porto.

De volta a Brasília, adentrou na área teatral, se unindo a pessoas que topavam encenar peças em espaços públicos, em espetáculos mambembes, improvisados. O artista tem cerca de 30 peças escritas e apresentadas por todo Brasil.

Seja em suas peças teatrais ou seus trabalhos como escritor, Ribondi sempre deixou claro sua luta em prol dos direitos da comunidade LGTQIAP+.

Amigos e familiares se despediram, na tarde deste domingo (11/5), de Alexandre Ribondi. O velório aconteceu na Casa dos Quatro, na Asa Norte, onde Ribondi era um dos sócios e trabalhava como ator e diretor.

Credito: Ed Alves/CB/DA.Press. Cidades. Velório de Alexandre Ribondi. – (crédito: Ed Alves/CB/DA.Press)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
As urnas utilizadas na eleição para o Conselho Tutelar recebem dados e informações relacionadas aos candidatos.
As urnas utilizadas na eleição para o Conselho Tutelar recebem dados e informações relacionadas aos candidatos.
A Ouvidoria-Geral já registrou mais de 234 mil atendimentos em 2023.
A Ouvidoria-Geral já registrou mais de 234 mil atendimentos em 2023.
Policial penal é o primeiro do DF a liderar curso de ação tática especial
Policial penal é o primeiro do DF a liderar curso de ação tática especial
Escolas rurais encontram no asfalto um aliado para a educação
Escolas rurais encontram no asfalto um aliado para a educação
Semana começa com 227 vagas nas agências do trabalhador
Semana começa com 227 vagas nas agências do trabalhador
Campanha no metrô alerta para a violência contra a mulher
Campanha no metrô alerta para a violência contra a mulher
Projeto do GDF é premiado em fórum de nutricionistas da assistência social
Projeto do GDF é premiado em fórum de nutricionistas da assistência social
Recuperação da Avenida Sayonara irá beneficiar 8 mil motoristas no Gama
Recuperação da Avenida Sayonara irá beneficiar 8 mil motoristas no Gama
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) anuncia um novo recorde anual de temperatura em todas as estações do Distrito Federal
O Inmet anuncia um novo recorde de temperatura em todas as estações do Distrito Federal
Vacinação para todas as idades no Parque da Cidade vai até domingo
Vacinação para todas as idades no Parque da Cidade vai até domingo
DF3
Programa de microcrédito do governo gerou quase mil empregos em 2023
Alunas do DF conquistam ouro em etapa da Olimpíada Brasileira de Geografia
Alunas do DF conquistam ouro em etapa da Olimpíada Brasileira de Geografia

Israel e Hamas, 200 dias de guerra sem sinais de trégua

Nas últimas 24 horas, os bombardeios israelenses mataram 32 palestinos, segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza A guerra entre Israel e Hamas em Gaza completou 200 dias nesta terça-feira (23), sem sinais de que uma trégua estaria próxima, nem de que o movimento islamista estaria disposto a

Leia mais...

Atividade de extensão debaterá saúde mental e políticas públicas

Iniciativa da Universidade do Distrito Federal é aberta para a comunidade acadêmica, bem como para o público externo; inscrições podem ser feitas até o dia 7 de maio “Diálogos sobre saúde mental, políticas públicas e universidade” é o tema da extensão universitária proposta pela docente Kíssila Mendes, da Universidade do

Leia mais...

Equatorial alerta para nova onda de calor em Goiás

Massa de ar quente eleva temperaturas acima da média e deve provocar aumento no consumo de energia nos próximos dias. Goiânia, 23 de abril de 2024 – Os termômetros devem registrar altas temperaturas nesta semana em todo estado. Uma massa de ar quente e seco está influenciando no aumento das

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.