19/06/2024

Dengue chega a 3 milhões de casos; mortes são 1.256

Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF - CB.Saúde entrevista Ethel Maciel, secretaria de vigilancia em saúde e ambiente do Ministério da Saúde. - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Números superam em muito os registrados no ano passado, segundo o Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde. Ao longo de 2023, foram 1,6 milhão de infecções — óbitos, pouco mais de mil

O Brasil alcançou, ontem, a marca de 3 milhões de casos prováveis de dengue em 2024. O número corresponde, praticamente, ao dobro dos registros ocorridos ao longo do ano passado. A data marca, também, o recorde histórico no número de mortes pela doença no país — foram confirmados 1.256 óbitos e outros 1.857 estão em investigação.

As informações são do Painel de Monitoramento de Arboviroses, do Ministério da Saúde. Ao todo, desde o início do ano, foram 3.062.181 casos prováveis de dengue.

Em 2023, a pasta havia previsto que o surto da infecção este ano deveria ser o maior registrado no país. A estimativa era de que poderia alcançar 4,5 milhões de casos até a 23ª semana epidemiológica — a atual é a 15ª.

Durante o ano passado, os casos chegaram a 1,6 milhão, o mais alto desde 2000. Além disso, 2023 também foi marcado pelo recorde no registro de mortes — 1.094.

Apesar de apresentar o dobro de casos e um número maior de óbitos, a taxa de letalidade pelo total de casos prováveis em 2024 (0,04%) é menor do que a constatada no ano passado (0,07%). Da mesma forma, o índice de letalidade pelo número de casos considerados graves este ano (3,93%) também fica abaixo do verificado em 2023 (5,22%).

Estabilidade

Segundo a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do ministério, Ethel Maciel, o pico da dengue, em 2024, passou. Mas ela salienta que os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegyti devem continuar na mesma intensidade.

“A gente observa a maior parte dos estados em queda ou em estabilidade. Passamos daquele momento, mas ainda temos um caminho a percorrer. Às vezes, a gente dá a impressão de que o pior passou, só que ainda vamos ter pessoas adoecendo, pessoas que podem morrer”, alertou.

Para Joziana Barçante, parasitologista, pesquisadora e professora da área de doenças infecciosas e parasitárias do departamento de medicina da Universidade Federal de Lavras (MG), só é possível afirmar que o pico passou quando se constata uma queda no número de casos registrados. “A gente tem, historicamente, no Brasil, e principalmente em alguns estados, que o número de casos sobe até meados de abril e início de maio. Este ano, não teve uma antecipação da curva, mas, sim, de transmissão. O que se vê é que os picos estão acontecendo no mesmo período que aconteciam nos anos anteriores — março, abril e maio iniciando o declínio. Pode ser que se tenha chegado ao pico, mas só é possível saber isso depois que acabar o ano e fazer uma análise epidemiológica desses dados”, frisou.

Joziana explicou que o fato de 2024 ser um ano atípico em relação à dengue dificulta a realização de previsões sobre o ciclo da doença. Ela defendeu a importância de se focar nas estratégias de combate ao vetor da doença e na diminuição do sofrimento da população.

“O que se tem que pensar, neste momento, não é a que número vai chegar ou se chegou ou não o pico, mas, sim, focar nas estratégias de combate ao vetor e de redução do sofrimento da população. O mais importante é não diminuir os esforços, na expectativa de que a curva chegou ao pico e que vai começar a ter uma diminuição do número de casos”, explicou.

Tribuna Livre, com informações da secretaria de vigilancia em saúde e ambiente do Ministério da Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Homem é preso novamente por tentar violentar enteada com quem já tem um filho após estupro, na PB
Homem é preso novamente por tentar violentar enteada com quem já tem um filho após estupro, na PB
Chuvas em Pernambuco: inundação de rios, desabrigados e transtornos são registrados
Chuvas em Pernambuco: inundação de rios, desabrigados e transtornos são registrados
Dino envia indiciamento de Juscelino Filho por corrupção à PGR
Dino envia indiciamento de Juscelino Filho por corrupção à PGR
Caso Moraes: TCU vai apurar promoção de delegado da PF
Caso Moraes: TCU vai apurar promoção de delegado da PF
Nova ponte sobre o Rio Tocantins será inaugurada nesta sexta-feira (14)
Nova ponte sobre o Rio Tocantins será inaugurada nesta sexta-feira (14)
Naval, considerado “homem de guerra”, assume maior milícia do Rio
Naval, considerado “homem de guerra”, assume maior milícia do Rio
País corre e tenta atingir meta de vacinação contra a poliomielite
País corre e tenta atingir meta de vacinação contra a poliomielite
Existem duas habilidades que Deus dá aos obreiros: uma é realizar a obra de Deus através dos cargos ministeriais e a outra é a de realizar obras para Deus
Existem duas habilidades que Deus dá aos obreiros: uma é realizar a obra de Deus através dos cargos ministeriais e a outra é a de realizar obras para Deus.
Deputada manda 100% das emendas para cidade chefiada pelo marido
Deputada manda 100% das emendas para cidade chefiada pelo marido
MP-SP abre guerra contra a Bíblia
MP-SP abre guerra contra a Bíblia
STF rejeita recurso que tratava do uso de banheiros por transexuais
STF rejeita recurso que tratava do uso de banheiros por transexuais
Com confusão, Conselho de Ética arquiva processo contra Janones
Com confusão, Conselho de Ética arquiva processo contra Janones

Defesa Civil do RS divulga balanço após chuvas recentes

No total, entre sexta-feira e hoje (18/6), 22 municípios gaúchos reportaram danos em razão de alagamentos no estado Entre sexta-feira passada e hoje (18/6), 22 municípios gaúchos enfrentaram alagamentos, inundações e deslizamentos de terra, conforme relatório da Defesa Civil estadual. São Luiz Gonzaga foi uma das cidades mais afetadas, com

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.