19/05/2024

Guerra na Faixa de Gaza: Israel amplia ataques e 300 mil fogem de Rafah

Família de palestinos abandona Rafah a bordo de triciclo carregado com todos os seus pertences: cena cada vez mais comum no enclave - (crédito: AFP)

Exército israelense ordena a retirada dos moradores da região central da cidade, no extremo sul da Faixa de Gaza, enquanto prepara ofensiva terrestre. Mãe de quatro crianças, ativista palestina relata pesadelo e rotina de medo ao Correio

Reham Al-Qeeq, 40 anos, ativista comunitária em Rafah, no extremo sul de Gaza, aguarda o momento de fugir do inferno. Dentro de uma tenda, na região oeste da cidade, a pouco mais de 1km do Mar Mediterrâneo, ela e os quatro filhos — três garotos de 12, de 10 e de 6 anos, e uma menina de 8 — não sabem para onde ir. Grande parte da Faixa de Gaza, um território de 41km de comprimento por 13km na parte mais larga, e uma área de 365 quilômetros quadrados, foi praticamente transformada em ruínas.

Ao ignorar os apelos da comunidade internacional, as Forças de Defesa de Israel ampliaram a zona de combate em Rafah e lançaram folhetos nos quais exigiam a partida de civis de regiões centrais. Até poucos dias, Rafah abrigava 1,2 milhão de palestinos. Desde segunda-feira (6/5), 300 mil atenderam aos alertas do Exército judeu e fugiram.

Em meio aos preparativos para uma invasão por terra a Rafah, uma notícia vinda de Washington trouxe esperança. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou sobre a possibilidade de uma trégua, a partir deste domingo. “Haveria um cessar-fogo amanhã se o Hamas libertasse os reféns”, disse o democrata, ontem, durante evento de angariação de fundos nos arredores de Seattle. “Israel disse que cabe ao Hamas, se eles quiserem fazer isso, poderíamos encerrar amanhã (domingo, 12)”, declarou Biden ao público de cerca de 100 pessoas. Na quarta-feira (8/5), Biden tinha avisado a Israel que suspenderia o fornecimento de armas ao aliado, caso elas fossem usadas contra a população de Rafah.

A União Europeia (UE) criticou a expansão da retirada de civis de Rafah por parte de Israel. “As ordens de evacuação de civis presos em Rafah para áreas inseguras são inaceitáveis”, declarou Charles Michel, presidente do Conselho Europeu. “Pedimos ao governo israelense que respeite o direito internacional humanitário e instamos que não empreenda nenhuma operação terrestre em Rafah.”

“No caso de uma incursão selvagem ao centro de Rafah, eu sairei, porque tenho filhos e todos são pequenos. Até o momento, não encontramos lugar para nos abrigar”, conta Reham ao Correio, por meio do WhatsApp. Ela acusa Israel de bombardear Rafah sem dar tempo suficiente para as pessoas fugirem. “O bombardeio continua nas regiões leste e central de Rafah. Até o momento, temos cerca de 20 mártires”, acrescentou, ao usar o termo adotado pelos palestinos para fazerem referência aos mortos durante a guerra. De acordo com Reham, alguns de seus amigos deixaram suas casas, no leste de Rafah, e saíram sem carregar nenhum pertence. “Israel não esperou por mais de uma hora, para que as pessoas abandonassem seus lares. Então, bombardeou as casas, com quem estavam dentro delas. O Exército de ocupação pediu que os residentes abandonassem o leste de Rafah; então, concentrou os disparos de artilharia no centro de Rafah.”

A ativista, os quatro filhos e o marido, um funcionário da Sociedade do Crescente Vermelho Palestino, amargam a condição de deslocados internamente, por várias vezes, em Gaza, assim como centenas de milhares de pessoas. “Nós morávamos no bairro de Al-Rimal, na Cidade de Gaza. Todo o local foi destruído. Então, nos mudamos para o bairro de Tal Al-Hawa e, devido à intensidade dos ataques e ao medo das crianças, viemos para Rafah. Tivemos que nos deslocar, em mais uma ocasião, dentro da cidade, a uma área de segurança criada pelas forças de ocupação. A jornada de deslocamento é muito difícil e repleta de perigos, não fosse a providência divina”, comentou Reham. As crianças não escondem o temor da morte, ante o bombardeio aleatório de tanques israelenses. layvolume00:00/00:00Brazil –

A 9km ao norte de Rafah, Khalil Abu Shammala, 53 anos, contou que a cidade de Khan Yunis está superlotada. “Temos recebido muitos refugiados de Rafah. Há tantas pessoas que não sabem para onde ir. Não há mais locais para os desbrigados”, disse à reportagem, também por meio do WhatsApp. “As pessoas procuram por água e segurança. A água não existe em todos os lugares, e a segurança não é mais garantida.” As condições de higiene ruins contribuíram para mais de 80 mil casos de hepatite A entre os palestinos, segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza, controlado pelo Hamas. Abu Shammala afirmou que, apesar de suficiente, a qualidade da comida é duvidosa. “Temos comida desidratada. Quase ninguém pode comprar peixe, porque é um produto muito caro. A carne também não pode ser adquirida pela maioria da população.”

Refém morto

Durante os ataques de 7 de outubro, o Hamas capturou e levou para Gaza cerca de 250 israelenses. O governo de Benjamin Netanyahu acredita que 128 deles ainda estão no cativeiro, incluindo 36 que morreram. Neste sábado (11), o grupo extremista anunciou a morte do refém israelense-britânico Nadav Popplewell, 51 anos, sequestrado no kibbutz Nirim. Nadav tinha aparecido vivo, horas antes, em uma gravação. As Brigadas Ezzedine Al Qassam afirmam, em um segundo vídeo, que o refém tinha falecido ontem, após “ferimentos causados pelos aviões de combate sionistas que bombardearam o local onde estava detido, há mais de um mês”.

Tribuna Livre, com informações da AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Israel diz que acusação de 'genocídio' em Gaza está desconectada dos fatos
Israel diz que acusação de 'genocídio' em Gaza está desconectada dos fatos
Israel: disparo das forças do próprio país mata 5 de seus soldados em Gaza
Israel: disparo das forças do próprio país mata 5 de seus soldados em Gaza
O homem que lança garrafas com arroz no mar para salvar vidas na Coreia do Norte
O homem que lança garrafas com arroz no mar para salvar vidas na Coreia do Norte
X tem decisão favorável na Austrália em batalha por publicação de conteúdo violento
X tem decisão favorável na Austrália em batalha por publicação de conteúdo violento
Vaticano publica normas para concessão do "perdão divino"
Vaticano publica normas para concessão do "perdão divino"
Inundações no Uruguai fazem com que mais de 2 mil pessoas deixem casas
Inundações no Uruguai fazem com que mais de 2 mil pessoas deixem casas
Atingido por inundações, Quênia registra dezenas de casos de cólera
Atingido por inundações, Quênia registra dezenas de casos de cólera
Israel reabre passagem de fronteira com Gaza para permitir entrada de ajuda humanitária
Israel reabre passagem de fronteira com Gaza para permitir entrada de ajuda humanitária
Putin toma posse para quinto mandato como presidente da Russia
Putin toma posse para quinto mandato como presidente da Russia
Exército israelense começa evacuação de zona de Rafah, no sul de Gaza
Exército israelense começa evacuação de zona de Rafah, no sul de Gaza
'Joe genocida': protestos em universidades dos EUA mostram como guerra em Gaza virou ameaça à campanha de Biden
'Joe genocida': protestos em universidades dos EUA mostram como guerra em Gaza virou ameaça à campanha de Biden
‘Tragédia no RS é responsabilidade também de senadores e deputados que desmontam legislação ambiental’, diz secretário do Observatório do Clima
‘Tragédia no RS é responsabilidade também de senadores e deputados que desmontam legislação ambiental’, diz secretário do Observatório do Clima

Milhares de fieis prestigiam Festa do Divino, em Planaltina

Segunda maior celebração religiosa da região recebeu mais de R$ 1,2 milhão de investimento do GDF; festejos continuam neste domingo (19) Símbolo da fé brasiliense, a Festa do Divino Espírito Santo, em Planaltina, reuniu milhares de devotos neste sábado (18). O festejo começou logo cedo com a tradicional cavalgada –

Leia mais...

Escola Técnica de Santa Maria forma 169 alunos da primeira turma.

A deputada distrital Jaqueline Silva, emocionada, manifestou grande satisfação por mais essa conquista para a cidade. A deputada Jaqueline Silva declarou com emoção: “Não há palavras para expressar a minha satisfação em ver essa grande conquista beneficiando tantas pessoas.” Ela se referia à formatura de 169 alunos das primeiras turmas

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.