19/06/2024

“Há boas razões para se livrar de Netanyahu”, diz ex-premiê de Israel

Foto: Reprodução

Em entrevista ao Metrópoles, Ehud Olmert, ex-primeiro-ministro israelense, acusa Benjamin Netanyahu de negligenciar a segurança do país

Tel Aviv – Ehud Olmert, ex-primeiro-ministro de Israel e crítico contumaz de Benjamin Netanyahu, disse não considerar que o país tenha cometido crimes de guerra ou genocídio, mas, sim, uma série de erros no confronto contra o Hamas na Faixa de Gaza. “Israel tem o direito de reagir para se defender”, afirmou o político citando lideranças mundiais que tiveram a mesma opinião após o brutal ataque terrorista sofrido em 7 de outubro de 2023.

“Onde poderíamos reagir? No deserto?”, questiona Olmert, que governou Israel entre 2006 e 2009. Como os integrantes do grupo extremista Hamas estavam na Faixa de Gaza, não havia outro modo de enfrentar os adversários. “A única maneira de chegar ao Hamas, por mais que não quiséssemos e não queríamos que isso fosse uma política, aconteceu. Não é resultado de uma tentativa calculada de matar pessoas inocentes”, defende.

Olmert também reconhece que milhares de civis e inocentes foram mortos, mas que Israel não deve ser visto como vilão, tampouco como único culpado pela tragédia. O ex-primeiro-ministro pede para o mundo enxergar o que o Hamas fez inicialmente. “Eles causaram a morte de tantos outros palestinos”, afirmou.

A defesa de Olmert, entretanto, é somente do país e do povo. Ele não poupa munição contra seu grande adversário político: o atual primeiro-ministro e seu sucessor, Benjamin Netanyahu.

“Ele cometeu crimes contra o próprio povo, não atirando [diretamente neles], mas destruindo todos os fundamentos, princípios e valores com os quais o Estado de Israel foi construído”, disparou. E acusou o político de não respeitar a democracia e negligenciar a segurança do país.

Há boas razões para se livrar de Netanyahu. Há boas razões para indiciá-lo e para derrubá-lo”, afirmou Olmert.

Ataque israelense a escola da ONU

Poucas horas antes antes da entrevista de Olmert, um exemplo do que o político falava aconteceu na prática.

Uma escola da Agência de Assistência aos Refugiados da Palestina (Unrwa), administrada pela ONU, sofreu um ataque em que pelo menos 37 pessoas acabaram mortas. O local fica no campo de refugiados de Nuseirat, perto de Deir al-Balah, no centro da Faixa de Gaza.

As Forças de Defesa de Israel (FDI) assumiram a ofensiva, explicando que a escola servia de esconderijo para integrantes do grupo extremista Hamas. Os militares também apontaram que só terroristas foram mortos. Por outro lado, autoridades de Gaza garantem que há 14 crianças entre as vítimas no ataque realizado na noite de quarta-feira (5/6).

Ao mesmo tempo, o medo de uma escalada da violência no Oriente Médio aumentou nos últimos dias, com intensos bombardeios envolvendo Israel e Hezbollah na fronteira com o Líbano. Além disso, declarações de ambos os lados acenderam um alerta sobre uma possível guerra direta entre israelenses e o grupo paramilitar apoiado pelo Irã.

Estado Palestino

Defensor convicto da solução dos dois Estados, Olmert também acusa o governo de Netanyahu de ter fortalecido o Hamas ao longo dos últimos anos com uma série de políticas equivocadas. “Ele construiu isso. Ele construiu, porque ignorou a Autoridade Palestina [que governa a Cisjordânia]”, diz o ex-primeiro-ministro.

“Netanyahu sabia que, se ele falasse com Mahmoud Abbas [presidente da Autoridade Nacional Palestina], existiria apenas uma direção: concessões territoriais para um Estado Palestino. Mas não queria estabelecer uma política. Ele não queria contribuir para o estabelecimento do Estado Palestino”, continua.

Tribuna Livre, com informações da Agência Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Faixa de Gaza: Netanyahu reage a racha e dissolve o gabinete de guerra
Faixa de Gaza: Netanyahu reage a racha e dissolve o gabinete de guerra
Quais as intenções de Putin em visita a Kim Jong Un, na Coreia do Norte
Quais as intenções de Putin em visita a Kim Jong Un, na Coreia do Norte
Cúpula de Zelensky pode indicar possível divisão global
Cúpula de Zelensky pode indicar possível divisão global
Tiroteio em parque aquático deixa 9 pessoas feridas nos EUA
Tiroteio em parque aquático deixa 9 pessoas feridas nos EUA
Líderes do G7 liberam juros de ativos russos para ajudar a Ucrânia
Líderes do G7 liberam juros de ativos russos para ajudar a Ucrânia
Mundo bate recorde de refugiados com conflitos no Sudão e em Gaza
Mundo bate recorde de refugiados com conflitos no Sudão e em Gaza
Enfermeira britânica condenada por matar bebês volta a julgamento
Enfermeira britânica condenada por matar bebês volta a julgamento
Conselho de Segurança da ONU apoia plano dos EUA para trégua em Gaza
Conselho de Segurança da ONU apoia plano dos EUA para trégua em Gaza
Macron antecipa eleições na França após vitória da extrema direita na votação para o Parlamento Europeu
Macron antecipa eleições na França após vitória da extrema direita na votação para o Parlamento Europeu
Faixa de Gaza: Hamas ameaça reféns após operação de resgate em Nuseirat
Faixa de Gaza: Hamas ameaça reféns após operação de resgate em Nuseirat
Imigração nos EUA: Joe Biden fecha as portas para estrangeiros ilegais
Imigração nos EUA: Joe Biden fecha as portas para estrangeiros ilegais
Rei Charles III faz discurso emocionado em atos do Dia D na Inglaterra
Rei Charles III faz discurso emocionado em atos do Dia D na Inglaterra

Defesa Civil do RS divulga balanço após chuvas recentes

No total, entre sexta-feira e hoje (18/6), 22 municípios gaúchos reportaram danos em razão de alagamentos no estado Entre sexta-feira passada e hoje (18/6), 22 municípios gaúchos enfrentaram alagamentos, inundações e deslizamentos de terra, conforme relatório da Defesa Civil estadual. São Luiz Gonzaga foi uma das cidades mais afetadas, com

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.