21/06/2024

O recém-empossado presidente do Equador está considerando a utilização de três embarcações como instalações de detenção no mar.

Novo presidente do Equador avalia 3 barcos para servir como prisão no mar - (crédito: Reprodução/Rodrigo BUENDIA / AFP)

Os “navios prisionais” podem chegar ao Equador em até oito meses, e ainda não foi divulgado um plano concreto sobre o assunto.

O presidente recém-eleito do Equador, Daniel Noboa, anunciou na quarta-feira (6/12) que está avaliando três embarcações que atendem às condições para servir como navios prisionais, uma das propostas de sua campanha para reduzir a violência no sistema carcerário. Noboa mencionou que as opções estão localizadas na Austrália, no Reino Unido e nos Estados Unidos. A chegada desses “navios prisionais” ao Equador pode ocorrer em até oito meses, conforme afirmou o presidente, mas não foram revelados planos concretos sobre o assunto.

O novo governo busca implementar uma medida provisória para separar presos perigosos de suas facções criminosas, com o objetivo de reduzir a violência no sistema penitenciário. Daniel Noboa destacou que essas embarcações serviriam para isolar presos considerados ameaças reais à segurança pública até a conclusão da construção de prisões de segurança máxima e supermáxima, sem fornecer detalhes específicos sobre esse processo.

Quando questionado sobre a possível construção de megaprisões, o presidente mencionou a cooperação israelense no desenho dessas instalações, indicando que estão trabalhando com os mesmos projetistas e a mesma empresa que assessoraram El Salvador nesse contexto. Ele ressaltou que esse modelo já foi aplicado no México, Tailândia e Singapura.

Além disso, Noboa enfrenta o desafio de lidar com o aumento da violência relacionada ao narcotráfico e enfrentar facções criminosas envolvidas em sequestros, extorsões e assassinatos. Sobre o tema, revelou ter recebido um “pedido de acordo de paz” de uma dessas facções, sem fornecer mais detalhes. Especialistas preveem que o Equador encerrará 2024 com uma taxa de homicídios de 40 a cada 100.000 habitantes, refletindo a crescente onda de violência que se intensificou nos últimos anos no país.

Tribuna Livre, com informações da AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
O 'inquietante' pacto de proteção mútua entre Rússia e Coreia do Norte
O 'inquietante' pacto de proteção mútua entre Rússia e Coreia do Norte
Como família mais rica do Reino Unido foi parar no banco dos réus por tráfico de pessoas
Como família mais rica do Reino Unido foi parar no banco dos réus por tráfico de pessoas
Faixa de Gaza: Netanyahu reage a racha e dissolve o gabinete de guerra
Faixa de Gaza: Netanyahu reage a racha e dissolve o gabinete de guerra
Quais as intenções de Putin em visita a Kim Jong Un, na Coreia do Norte
Quais as intenções de Putin em visita a Kim Jong Un, na Coreia do Norte
Cúpula de Zelensky pode indicar possível divisão global
Cúpula de Zelensky pode indicar possível divisão global
Tiroteio em parque aquático deixa 9 pessoas feridas nos EUA
Tiroteio em parque aquático deixa 9 pessoas feridas nos EUA
Líderes do G7 liberam juros de ativos russos para ajudar a Ucrânia
Líderes do G7 liberam juros de ativos russos para ajudar a Ucrânia
Mundo bate recorde de refugiados com conflitos no Sudão e em Gaza
Mundo bate recorde de refugiados com conflitos no Sudão e em Gaza
Enfermeira britânica condenada por matar bebês volta a julgamento
Enfermeira britânica condenada por matar bebês volta a julgamento
Conselho de Segurança da ONU apoia plano dos EUA para trégua em Gaza
Conselho de Segurança da ONU apoia plano dos EUA para trégua em Gaza
Macron antecipa eleições na França após vitória da extrema direita na votação para o Parlamento Europeu
Macron antecipa eleições na França após vitória da extrema direita na votação para o Parlamento Europeu
Faixa de Gaza: Hamas ameaça reféns após operação de resgate em Nuseirat
Faixa de Gaza: Hamas ameaça reféns após operação de resgate em Nuseirat

Leilão de arroz: presidente da Comissão de Agricultura fala em fraude

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, prestou esclarecimentos à Comissão na Câmara sobre leilão para compra de arroz feito pelo governo O presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), chamou o leilão de arroz realizado pelo governo federal de “esquema fraudulento”. O

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.