20/07/2024

CCJ no Senado aprova Projeto de Lei do marco temporal

O projeto de lei foi aprovado com 16 votos a favor e 10 votos contra, como uma resposta do Congresso ao julgamento do STF que estabeleceu a tese de que os povos indígenas só podem reivindicar terras que estavam ocupando até outubro de 1988.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira, 27, por uma margem de 16 votos a favor e 10 contrários, um projeto de lei (PL) que consolida a tese do marco temporal para a demarcação de terras indígenas. Essa decisão foi tomada em resposta ao julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou inconstitucional a tese anterior, que permitia aos povos indígenas reivindicar apenas as terras que ocupavam ou disputavam até 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição.

O projeto de lei recebeu um relatório favorável do senador Marcos Rogério (PL-RO), que destacou a importância do tema como uma questão de interesse nacional, transcendentando as divisões políticas tradicionais. No centro do debate estão questões como a compensação para pessoas não indígenas que ocuparam as terras de boa-fé e a forma como os indígenas são compensados quando a demarcação se torna inviável. O relatório também inclui outras modificações, como uma abordagem mais flexível em relação aos povos indígenas em isolamento voluntário, a proibição da expansão das terras indígenas já demarcadas, a permissão para construir empreendimentos em territórios indígenas sem consulta prévia, e a possibilidade de celebração de contratos entre indígenas e não indígenas.

De forma geral, tanto parlamentares da oposição quanto do centro acompanharam a posição de Marcos Rogério. O senador governista Weverton (PDT-MA) também apoiou o relatório, destacando casos de desapropriação de pessoas carentes que estavam em terras indígenas no Maranhão, muitas vezes sem saberem da situação. Ele citou especificamente as terras awá-guajá, em São João do Carú, enfatizando a importância de corrigir as injustiças cometidas.

O senador Fábio Contarato (PT-ES), líder do PT no Senado, ressaltou a necessidade de considerar a situação dos povos indígenas isolados e argumentou que o atual Congresso não representa adequadamente esses grupos, bem como os quilombolas. Ele enfatizou a importância de uma representatividade mais ampla desses povos nas discussões legislativas.

Por sua vez, o senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR), conhecendo bem a realidade dos povos indígenas e o tamanho dos territórios, defendeu o respeito pela cultura indígena, ao mesmo tempo que enfatizou a importância de proporcionar oportunidades de crescimento e desenvolvimento para esses grupos, incluindo educação e acesso à internet.

Tribuna Livre Brasil com informações da JovemPan

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Chico Alencar critica apatia do Conselho de Ética em análise sobre Brazão
Chico Alencar critica apatia do Conselho de Ética em análise sobre Brazão
Bolsonaro diz que Ramagem "está pagando preço alto" pela coragem
Bolsonaro diz que Ramagem "está pagando preço alto" pela coragem 
Senado cria GT para debater regulamentação da reforma tributária
Senado cria GT para debater regulamentação da reforma tributária
Bolsonaro diz que Witzel pediu vaga no STF para blindar Flávio em investigação
Bolsonaro diz que Witzel pediu vaga no STF para blindar Flávio em investigação
Taxad e Zé do Taxão
Taxad e Zé do Taxão. Ministro da Fazenda vira meme nas redes sociais
Câmara aprova definição do marco legal do hidrogênio verde
Câmara aprova definição do marco legal do hidrogênio verde
Atentado a Trump é bofetão nos “salvadores da democracia”.Acima, Donald Trump durante comício na Pensilvânia em 3 momentos: ele discursando, ele levando a mão à orelha direita depois de disparos e ele sendo levado para fora do palco com sangue no rosto
Atentado a Trump é bofetão nos “salvadores da democracia”.
Reforma tributária vai tramitar sem urgência no Senado
Reforma tributária vai tramitar sem urgência no Senado
Mendonça dá 30 dias para conclusão de acordos de leniência da Lava-Jato
Mendonça dá 30 dias para conclusão de acordos de leniência da Lava-Jato
Reforma tributária: herança na mira de mais taxação
Reforma tributária: herança na mira de mais taxação
Câmara se concentra na votação da reforma tributária
Câmara se concentra na votação da reforma tributária
Comissão do Senado deve votar regulamentação da IA nesta terça-feira
Comissão do Senado deve votar regulamentação da IA nesta terça-feira

Incêndio no sudeste da França deixa sete mortos

Entre as vítimas estão três crianças. A Polícia abriu investigação para apurar como as chamas começaram Sete pessoas morreram durante a noite em um incêndio, aparentemente de origem criminosa, em um edifício de Nice, anunciou o promotor da cidade do sudeste da França, Damien Martinelli. “Com base nos primeiros indícios,

Leia mais...

Bolsonaro diz que Ramagem “está pagando preço alto” pela coragem 

Ex-presidente subiu em trio para apoiar pré-candidatura de Ramagem à Prefeitura do Rio de Janeiro. Eles são alvo de investigação sobre espionagem ilegal na Abin durante o governo bolsonarista  O ex-presidente Jair Bolsonaro exaltou o deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ), ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), nesta quinta-feira (18/7),

Leia mais...

Comitiva do governo federal vai até regiões de conflitos indígenas no MS

Indígenas relataram que foram cercados por caminhonetes e atacados com disparos de armas de fogo Integrantes da comitiva enviada pelo governo federal na terça-feira (17/7), acompanhados por representantes do governo do Mato Grosso do Sul, visitaram duas localidades para mediar conflitos fundiários nesta quinta-feira. Indígenas visitados disseram que foram atacados

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.