24/04/2024

Governo brasileiro se mostrou lento para criticar Maduro

Maduro barrou mais uma candidatura da oposição no país.

Nota do Itamaraty, que foi repudiada pelo regime venezuelano, ocorre após repetidas violações do Acordo de Barbados, como perseguições e prisões de opositores.

Demorou muito para o governo brasileiro questionar o veto do regime venezuelano à principal força de oposição a Nicolás Maduro nas eleições programadas para 28 de julho.

Na primeira crítica ao país caribenho na gestão Lula, o Itamaraty manifestou preocupação com o fato de Caracas agir “de forma não compatível com o Acordo de Barbados”. Recebeu como resposta o repúdio do regime, na acusação de ingerência em assuntos internos e na comparação com os termos ditados pelos EUA.

Resta saber qual será a extensão desta repreensão de Lula a Maduro, que demonstra desprezo pela atuação do Brasil.

Repetidas violações ao Acordo de Barbados, firmado em outubro passado entre o presidente-ditador e a oposição da Venezuela, vêm ocorrendo desde então, sem surpresas e sob as vistas do governo brasileiro, que ajudou a mediar o pacto.

A nota do Brasil sequer cita as perseguições a críticos do regime e mais de 30 prisões de opositores, que escalaram desde o início do ano, sob a alegação, sem provas, de participarem de cinco supostos complôs para derrubar o regime ou assassinar Maduro. Quando o governo brasileiro se manifestou, o processo eleitoral caótico já estava dominado pelo regime.

Nove dos encarcerados estão diretamente ligados à campanha de María Corina Machado, que foi impedida de participar do pleito. Seis dirigentes de seu partido se refugiaram na sede da embaixada argentina em Caracas, de acordo com jornais argentinos, onde os chavistas mandaram cortar a energia elétrica.

Funcionários do escritório de Direitos Humanos da ONU foram expulsos da Venezuela por ordem do regime.

Maduro repete sempre a ladainha de que na Venezuela haverá eleições “com sol, chuva ou relâmpagos”, mas copia os modelos de Nicarágua e Rússia, afastando seus concorrentes do pleito.

Os candidatos que tiveram permissão para inscrever-se no Conselho Nacional Eleitoral não representam qualquer desafio ao comandante do país, que, segundo as pesquisas independentes, tem apenas 20% das intenções de voto.

O controle do governo e a sua interferência embolou o processo eleitoral e, como em outros pleitos, causou fricções entre a oposição.

A entrada do candidato opositor Manuel Rosales, na última hora, gerou desconfiança. Criticado por adversários de pactuar com o regime, ele alegou que só se inscreveu porque a professora Corina Yoris, apontada como substituta de María Corina Machado, não conseguiu efetuar sua candidatura e os opositores de Maduro não poderiam ficar sem espaço.

“Não venho substituir ninguém, não venho tirar a liderança de ninguém, não venho separar ninguém, venho de braços abertos para reconstruir a Venezuela”, justificou.

Após o encerramento do prazo, o órgão eleitoral aceitou a inscrição de um “candidato-tampão” da Plataforma Unitária Democrática, que reúne dez partidos de oposição. Em vez de Yoris, entrou o também desconhecido Edmundo González Urrutia, ex-embaixador da Venezuela na Argentina.

Nesse ambiente turbulento, a esperança da coalizão liderada por María Corina Machado é tentar substituir o candidato por outro, já em abril ou até dez dias antes das eleições, conforme prevê a legislação eleitoral. Mas, como tudo na Venezuela, a lei está sob o comando de Maduro.

Tribuna Livre, com informações do G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Israel e Hamas, 200 dias de guerra sem sinais de trégua
Israel e Hamas, 200 dias de guerra sem sinais de trégua
A luta de argentina para descobrir causa misteriosa que matou filha e vizinhos
A luta de argentina para descobrir causa misteriosa que matou filha e vizinhos
Fachada da antiga Bolsa de Valores de Copenhague desaba após incêndio
Fachada da antiga Bolsa de Valores de Copenhague desaba após incêndio
Biden surpreende ao afirmar que tio foi devorado por canibais
Biden surpreende ao afirmar que tio foi devorado por canibais
EUA preparam exercício militar para batalhas fora da Terra
EUA preparam exercício militar para batalhas fora da Terra
Os moradores de Ibiza que vivem em seus carros enquanto turismo faz aluguéis dispararem
Os moradores de Ibiza que vivem em seus carros enquanto turismo faz aluguéis dispararem
Israel faz ofensiva diplomática para sufocar o Irã
Israel faz ofensiva diplomática para sufocar o Irã
Juiz adverte Trump sobre intimidações durante julgamento nos EUA
Juiz adverte Trump sobre intimidações durante julgamento nos EUA
Os últimos pacientes do maior hospital do Haiti, transformado em QG das gangues que desestabilizam o país
Os últimos pacientes do maior hospital do Haiti, transformado em QG das gangues que desestabilizam o país
O Irã se considera vingado e pede para Israel não reagir militarmente ao ataque
O Irã se considera vingado e pede para Israel não reagir militarmente ao ataque
Conflito provoca extrema preocupação internacional por causa do poderio militar de Irã e de Israel
Conflito provoca extrema preocupação internacional por causa do poderio militar de Irã e de Israel
Ameaça de retaliação do Irã deixa Israel em alerta máximo
Ameaça de retaliação do Irã deixa Israel em alerta máximo

Israel e Hamas, 200 dias de guerra sem sinais de trégua

Nas últimas 24 horas, os bombardeios israelenses mataram 32 palestinos, segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza A guerra entre Israel e Hamas em Gaza completou 200 dias nesta terça-feira (23), sem sinais de que uma trégua estaria próxima, nem de que o movimento islamista estaria disposto a

Leia mais...

Atividade de extensão debaterá saúde mental e políticas públicas

Iniciativa da Universidade do Distrito Federal é aberta para a comunidade acadêmica, bem como para o público externo; inscrições podem ser feitas até o dia 7 de maio “Diálogos sobre saúde mental, políticas públicas e universidade” é o tema da extensão universitária proposta pela docente Kíssila Mendes, da Universidade do

Leia mais...

Equatorial alerta para nova onda de calor em Goiás

Massa de ar quente eleva temperaturas acima da média e deve provocar aumento no consumo de energia nos próximos dias. Goiânia, 23 de abril de 2024 – Os termômetros devem registrar altas temperaturas nesta semana em todo estado. Uma massa de ar quente e seco está influenciando no aumento das

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.