19/05/2024

ONGs suspendem atividades no Afeganistão após proibição de emprego a mulheres

 Nos últimos meses, o movimento Talibã, que retornou ao
poder em agosto de 2021, apertou o cerco às mulheres afegãs


(crédito: AHMAD SAHEL ARMAN / AFP)

Várias ONGs estrangeiras anunciaram neste domingo (25) a
suspensão das atividades no Afeganistão depois que o regime Talibã proibiu que
as mulheres trabalhem neste tipo de organização.

“Enquanto não apresentam mais explicações sobre o
anúncio, suspendemos nossos programas e exigimos que homens e mulheres possam
continuar, em igualdade de condições, com nossa ajuda para salvar vidas no
Afeganistão”, afirmaram em um comunicado as ONGs Save the Children,
Conselho Norueguês para os Refugiados e CARE.

Outra ONG, o Comitê Internacional de Resgate (IRC) também
anunciou pouco depois que estava suspendendo suas atividades no país,
destacando que 3.000 de seus 8.000 funcionários eram mulheres.

“Se não estivermos autorizados a empregar mulheres,
não poderemos prestar serviços a quem precisa”, disse em um comunicado
esta organização, que está presente no Afeganistão desde 1988.

Dezenas de representantes de ONGs e funcionários da ONU
que atuam no Afeganistão se reuniram neste domingo para discutir a situação.

“Se (as autoridades do Talibã) não estiverem em
condições de revogar esta decisão e encontrar uma solução para este problema,
será muito difícil continuar e fornecer ajuda humanitária de maneira
independente e justa, porque a participação das mulheres é muito
importante”, declarou à AFP o coordenador humanitário da ONU para o
Afeganistão, Ramiz Alakbarov.

A Organização para a Conferência Islâmica (OIC) condenou
a proibição neste domingo e seu secretário-geral, Hissein Brahim Taha, apelou
“fortemente” ao regime talibã para rever sua decisão, considerando-a
“contrária aos interesses do povo afegão”.

Impacto devastador

No comunicado enviado às ONGs no sábado, o Ministério da
Economia ordenou que parassem de empregar mulheres sob pena de perder a
autorização para trabalhar no país.

A decisão foi justificada por “denúncias” de
que as mulheres que trabalhavam nessas organizações não respeitavam o uso do
véu islâmico. No Afeganistão, as mulheres são obrigadas a cobrir o rosto e o
corpo inteiro.

A ONU e as agências de cooperação destacam que mais da
metade dos 38 milhões de habitantes do precisarão de ajuda humanitária durante
o inverno rigoroso.

Dezenas de organizações trabalham em regiões remotas do
Afeganistão e muitas empregam mulheres. Várias associações alertaram que a
proibição vai prejudicar suas atividades.

“A proibição terá um impacto em todos os aspectos do
trabalho humanitário, pois as mulheres têm cargos cruciais em projetos voltados
para população feminina vulnerável do país”, afirmou à AFP uma fonte de
uma ONG estrangeira.

“Não queremos interromper a ajuda imediatamente,
pois isso prejudicaria o povo afegão”, disse o enviado da ONU Ramiz
Alakbarov, enfatizando que o veto teria um impacto “devastador” na já
deteriorada economia do país.

Nos últimos meses, o movimento Talibã, que retornou ao
poder em agosto de 2021, apertou o cerco às mulheres.

Há menos de uma semana elas foram vetadas nas
universidades do país por “desrespeito” ao código de vestimenta. E
desde março estão proibidas de frequentar as escolas do Ensino Médio.

As mulheres também foram excluídas de vários empregos
públicos e não podem viajar sem a presença de um parente homem. O Talibã também
proibiu o acesso a parques, jardins, academias e banheiros públicos.

“Inferno para as mulheres”

“O retrocesso flagrante mais recente dos direitos
das meninas e das mulheres terá consequências de grande alcance para a
prestação de serviços de saúde, nutrição e educação das crianças”, tuitou
o diretor regional do Unicef, George Laryea-Adjei.

Uma afegã de 27 anos contou à AFP, sob anonimato, que
começaria a trabalhar neste domingo para uma ONG estrangeira.

“O trabalho árduo que fiz nos últimos anos no campo
da educação foi destruído”, disse. Shabana, 24 anos, funcionária de uma
ONG em Cabul, também falou sobre a mudança.

“Somos 15 na minha família e eu sou o único
sustento. Se eu perder meu emprego, minha família vai passar fome”, disse.
“Enquanto vocês celebram a chegada do Ano Novo, o Afeganistão virou um
inverno para as mulheres”, resumiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Líder da máfia italiana, Matteo Denaro morre aos 61 anos
Líder da máfia italiana, Matteo Denaro morre aos 61 anos
Joe Biden;  Estados Unidos
Os Estados Unidos reconhecem as Ilhas Cook e Niue como nações independentes
ESP
As imagens falsas de crianças nuas geradas por Inteligência Artificial que chocaram cidade da Espanha
Xenotransprante: Médicos americanos realizam 2º transplante de coração de porco em humanos
Xenotransprante: Médicos americanos realizam 2º transplante de coração de porco em humanos
Crianças roubam carro da mãe após perderem acesso a dispositivos eletrônicos nos EUA
Crianças roubam carro da mãe após perderem acesso a dispositivos eletrônicos nos EUA
Greve dos roteiristas
Sindicato negocia ‘acordo final’ pelo fim da greve dos roteiristas em Hollywood
M1
Homem com doença terminal cardíaca recebe transplante de coração de porco
Agentes armados em região separatista
Separatistas de Nagorno-Karabakh entregam armas ao Azerbaijão e negociam retirada de tropas
CHILE
Golpe no Chile: Resolução de congressistas dos EUA pede desculpas
CAÇA
Militares dos EUA localizam caça que 'se camuflou' após piloto ejetar
EXTERIOR
Irã e EUA trocam prisioneiros após liberação de fundos iranianos
NO FUNDO DO MAR
O homem que sobreviveu por 60 horas em um barco afundado no fundo do mar

Milhares de fieis prestigiam Festa do Divino, em Planaltina

Segunda maior celebração religiosa da região recebeu mais de R$ 1,2 milhão de investimento do GDF; festejos continuam neste domingo (19) Símbolo da fé brasiliense, a Festa do Divino Espírito Santo, em Planaltina, reuniu milhares de devotos neste sábado (18). O festejo começou logo cedo com a tradicional cavalgada –

Leia mais...

Escola Técnica de Santa Maria forma 169 alunos da primeira turma.

A deputada distrital Jaqueline Silva, emocionada, manifestou grande satisfação por mais essa conquista para a cidade. A deputada Jaqueline Silva declarou com emoção: “Não há palavras para expressar a minha satisfação em ver essa grande conquista beneficiando tantas pessoas.” Ela se referia à formatura de 169 alunos das primeiras turmas

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.