20/06/2024

Tribunal Internacional retoma investigação de crimes contra a humanidade na Venezuela

Corte, com sede em Haia, entendeu que o ditador Nicolás Madurou não apurou as denúncias

O Tribunal Penal Internacional (TPI) autorizou a reabertura da investigação por crimes contra a humanidade na Venezuela ocorridos em 2017. A decisão foi tomada nesta terça-feira, 27, quando o TPI reconheceu que o ditador Nicolás Maduro não adotou medidas suficientes para apurar as denúncias.

Em um comunicado, o TPI informou que as ações da Venezuela “não refletem suficientemente o escopo da investigação pretendida” e que as investigações venezuelanas parecem estar focadas em criminosos de “baixo escalão”. O TPI procura processar os comandantes superiores, considerados responsáveis por crimes.

Em 2021, o TPI começou a investigar a violação de direitos humanos na repressão dos protestos de 2017, quando mais de cem pessoas morreram na Venezuela. Mas, em abril de 2022, Maduro pediu o adiamento, alegando que o sistema judiciário do país seria capaz de conduzir uma apuração eficaz.

Há duas semanas, o procurador-chefe do TPI, Karim Khan, se reuniu com Maduro para assinar um memorando de instalação de um escritório do TPI na Venezuela.

De acordo com o comunicado do TPI, “a Venezuela parece ter tomado medidas investigativas limitadas” e, em muitos casos, há “períodos de inatividade investigativa inexplicável”.

 A Human Rights Watch, organização de defesa dos direitos humanos, comemorou a decisão do TPI. “Com a decisão de hoje, os juízes do TPI deram luz verde ao único caminho confiável para a justiça para as vítimas de abusos do governo de Nicolás Maduro”, disse Juanita Goebertus, diretora do grupo para as Américas. “A decisão confirma que a Venezuela não está agindo para fazer justiça pelos crimes que provavelmente estão sob investigação do TPI. A impunidade continua sendo a norma.”

O TPI já concluiu uma investigação preliminar em 2020 e informou, na ocasião, ter encontrado uma base razoável para concluir que crimes contra a humanidade foram cometidos na Venezuela, pelo menos desde abril de 2017. A investigação concentrou-se principalmente em alegações de uso de força excessiva, detenção arbitrária e tortura pelas forças de segurança durante a repressão aos protestos contra o governo naquele ano.

O Tribunal Pena Internacional, que tem sede em Haia, na Holanda, foi criado em 1998 pelo Estatuto de Roma para julgar indivíduos acusados de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Procurador-chefe do TPI, Karim Khan, em encontro com Nicolás Maduro em junho

| Foto: Reprodução/TPI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Líder da máfia italiana, Matteo Denaro morre aos 61 anos
Líder da máfia italiana, Matteo Denaro morre aos 61 anos
Joe Biden;  Estados Unidos
Os Estados Unidos reconhecem as Ilhas Cook e Niue como nações independentes
ESP
As imagens falsas de crianças nuas geradas por Inteligência Artificial que chocaram cidade da Espanha
Xenotransprante: Médicos americanos realizam 2º transplante de coração de porco em humanos
Xenotransprante: Médicos americanos realizam 2º transplante de coração de porco em humanos
Crianças roubam carro da mãe após perderem acesso a dispositivos eletrônicos nos EUA
Crianças roubam carro da mãe após perderem acesso a dispositivos eletrônicos nos EUA
Greve dos roteiristas
Sindicato negocia ‘acordo final’ pelo fim da greve dos roteiristas em Hollywood
M1
Homem com doença terminal cardíaca recebe transplante de coração de porco
Agentes armados em região separatista
Separatistas de Nagorno-Karabakh entregam armas ao Azerbaijão e negociam retirada de tropas
CHILE
Golpe no Chile: Resolução de congressistas dos EUA pede desculpas
CAÇA
Militares dos EUA localizam caça que 'se camuflou' após piloto ejetar
EXTERIOR
Irã e EUA trocam prisioneiros após liberação de fundos iranianos
NO FUNDO DO MAR
O homem que sobreviveu por 60 horas em um barco afundado no fundo do mar

Leilão de arroz: presidente da Comissão de Agricultura fala em fraude

Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, prestou esclarecimentos à Comissão na Câmara sobre leilão para compra de arroz feito pelo governo O presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, deputado Evair Vieira de Melo (PP-ES), chamou o leilão de arroz realizado pelo governo federal de “esquema fraudulento”. O

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.