26/05/2024

Congresso reage e eleva emendas impositivas para R$ 19,2 bilhões

 Valor é igual ao das agora extintas “emendas de relator”;
acordo foi firmado entre Senado, Câmara e futuro governo Lula.


Foto: Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (esq.), e
da Câmara, Arthur Lira (dir.), na tribuna do plenário do Tribunal Superior
Eleitoral, durante a diplomação de Lula…

Em rápida e forte reação a decisões recentes do Supremo
Tribunal Federal, deputados e senadores firmaram um acordo com a equipe do
futuro presidente Luiz Inácio Lula da Silva para aumentar o valor de emendas
individuais impositivas ao Orçamento…

O Orçamento de 2023 estabelecia que cada 1 dos 513
deputados e dos 81 senadores teria direito de indicar obras num valor de até R$
16 milhões cada um. Isso já daria R$ 9,5 bilhões. Agora, mais R$ 9,7 bilhões
serão acrescentados. Ou seja, cada congressista poderá apresentar emendas individuais
impositivas (que o governo fica obrigado a pagar) de até R$ 32,3 milhões cada
um….

Tudo isso será constitucionalizado na PEC que autoriza
Lula a honrar despesas de mais de R$ 200 bilhões acima do teto de gastos. A PEC
fura-teto, pelo acordo, também terá validade de apenas 1 ano, e não 2 anos como
havia sido aprovado no texto que passou pelo Senado….

A Câmara deve votar a PEC fura-teto ainda nesta 3ª feira
(20.dez.2022) a tempo de o Senado fazer o mesmo, ratificando o texto até amanhã
(4ª feira). O Congresso só tem sessões até 5ª feira (22.dez), quando será
também necessário aprovar o relatório final do Orçamento de 2023….

Os R$ 9,7 bilhões restantes do dinheiro até então
reservado para as emendas de relator serão direcionados para a rubrica RP
(resultado primário) 2, de verba discricionária do Poder Executivo —ou seja,
serão transformados em orçamento de livre aplicação dos ministérios….

Um possível desdobramento disso é o governo Lula retomar
a prática em que o presidente e seus ministros negociam apoio de congressistas
com base na possibilidade de indicar a destinação de verbas orçamentárias sob o
crivo do Executivo….

Ainda assim, o petista perderá poder de barganha com a
duplicação do valor das emendas individuais impositivas, que deixa congressistas
empoderados para mandar dinheiro para seus redutos eleitorais sem depender da
boa vontade do governo de turno….

ESTRAGO POLÍTICO

Na prática, as decisões do Supremo dos últimos dias
acabaram sendo danosas politicamente para os presidentes da Câmara, Arthur Lira
(PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), mas também para Lula….

No caso de Lira e Pacheco, eles perdem o direito de
sozinhos dizer para onde vão alguns bilhões do Orçamento por meio das agora
extintas “emendas de relator” (também chamadas equivocadamente de “orçamento
secreto”, o que era um erro semântico porque os valores eram publicados no
“Diário Oficial”). Ao mesmo tempo, entretanto, os presidentes da Câmara e do
Senado recobram a confiança dos congressistas ao terem criado o dispositivo que
aumentou o valor que cada um poderá apropriar do Orçamento sem depender de
liberação do Planalto –pois o governo fica obrigado a pagar….

Já Lula perdeu uma potente ferramenta de convencimento de
congressistas por meio da fisiologia. Por décadas no Brasil o presidente de
turno usa emendas ao Orçamento para cooptar deputados e senadores e manter uma
base de apoio no Legislativo. Se a acordo for mesmo honrado com a aprovação da
PEC fura-teto, o petista não terá mais como usar esse instrumento….

Os congressistas foram os que mais ganharam. Mais do que
dobram o valor sobre o qual cada um pode opinar a respeito do Orçamento e não
dependem mais de acordos e concessões ao Planalto….

O ACORDO

Há expectativa entre deputados do Centrão de que, com a
provável promulgação da PEC antes do fim do ano, a redivisão do dinheiro das
emendas de relator valha também para os cerca de R$ 8 bilhões de RP9 congelados
no orçamento de 2022.

O acerto para a aprovação da PEC na Câmara também
preconiza a exclusão de um trecho que deixaria fora do teto o dinheiro de
empréstimos tomados pelo governo junto a organismos multilaterais para
investimentos em infraestrutura de transportes.

Deputados reclamavam que esse trecho poderia livrar o
Poder Executivo da exigência de aval do Congresso para tomar empréstimos no
exterior.

A retirada do dispositivo não diminui, contudo, o impacto
fiscal mensurável da PEC. O texto não determinava quanta verba poderia vir de
crédito internacional. O dinheiro era, portanto, apenas hipotético.

Outro ponto sobre o qual ainda não há consenso é a
determinação de que o governo Lula envie ao Congresso uma proposta para uma
nova âncora fiscal que substituta o teto de gastos por meio de um projeto de
lei complementar.

O Novo apresentará um destaque (pedido de análise de um
trecho em separado) para suprimir esse dispositivo e preservar a necessidade de
se aprovar uma emenda constitucional para qualquer mudança, inclusive a
revogação, do teto de gastos.

A REUNIÃO

O acordo foi firmado em reunião entre o futuro ministro
da Fazenda, Fernando Haddad (PT), com o presidente da Câmara, Arthur Lira
(PP-AL), e líderes de bancada no Congresso, na residência oficial da Câmara.

Antes da reunião, deputados bolsonaristas foram à
residência oficial de Lira reclamar das últimas decisões do Supremo. Para eles,
configuram ingerência em competências do Congresso.

Ao menos outros 18 congressistas estiveram na casa do
presidente da Câmara. Eis a lista:

André Figueiredo (PDT–CE);
André Fufuca (PP–MA);
Aureo
Ribeiro (Solidariedade–RJ);
Bira do Pindaré (PSB–MA);
Cláudio Cajado (PP–BA);
Elmar Nascimento (União Brasil–BA);
Hugo Leal (PSD–RJ);
Jaques Wagner (PT–BA);

Marcelo Castro (MDB–PI);
Marcelo Freixo (PSB–RJ);
Marcelo Ramos (PSD–AM);
Mauro
Benevides Filho (PDT–CE);
Orlando Silva (PC do B–SP);
Reginaldo Lopes (PT–MG);

Renildo Calheiros (PC do B–PE);
Silvio Costa Filho (Republicanos–PE);
Sóstenes
Cavalcante (PL–RJ);
Wolney Queiroz (PDT–PE).


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Ministro Barroso afirma que a alternância de poder é uma parte essencial da vida.
Ministro Barroso afirma que a alternância de poder é uma parte essencial da vida.
Lula busca sintonia com Lira para tocar acordos
Lula busca sintonia com Lira para tocar acordos
Decisão do STF contra réus do 8/1 é criticada por dupla punição e deve ser alvo de recursos
Decisão do STF contra réus do 8/1 é criticada por dupla punição e deve ser alvo de recursos
TCU pede informações ao governo sobre ações de combate a fraudes em compras internacionais
TCU pede informações ao governo sobre ações de combate a fraudes em compras internacionais
MARCO TEMPORAL
Marco temporal: a histórica vitória dos indígenas no Supremo
DINO
Lula é alertado sobre uma consequência negativa de indicar Dino ao STF
LULA
Lira alerta que governo deve ter cuidados com "excessos" da PF
LULA
Presidente Lula participa de jantar com empresários em Nova York
CONGRESSO
Candidaturas de mulheres e negros sob ataque em propostas no Congresso
voo
Lula vai para Cuba e Estados Unidos, e passa Presidência a Alckmin
RODRIGO
Senado vai apresentar PEC para criminalizar porte de drogas
XANDE
8/1: Defesa de acusado diz que julgamento é político; Moraes rebate

DF amplia malha cicloviária e chega a 687 quilômetros de pistas

‌Desde 2019, foram construídos 220,52 km; capital tem a segundo maior conjunto de vias para ciclistas no país. GDF trabalha para interligar trechos e aumentar a mobilidade da população A malha cicloviária do Distrito Federal tem aumentado nos últimos anos. Atualmente, ela tem uma extensão de 687,12 km, distribuída em

Leia mais...

Marinhas do Brasil e dos EUA realizam operação em apoio ao RS

Operação tem como objetivo transferir doações para as vítimas das enchentes no estado de maneira mais ágil A Marinha do Brasil (MB) conduz, na próxima segunda-feira (27/5), uma operação de apoio à população do Rio Grande do Sul em meio à situação de calamidade pública causada pelas enchentes. A ação

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.