23/06/2024

Novo juiz da Lava Jato põe desafeto de Moro sob proteção da PF

 Em mais uma
reviravolta na Operação Lava Jato, o advogado Rodrigo Tacla Duran, colocado na
lista de foragidos da Interpol no auge da investigação, agora está no programa
de proteção a testemunhas


(crédito: Podemos/Reprodução)

Em mais uma reviravolta na Operação Lava Jato, o advogado
Rodrigo Tacla Duran, colocado na lista de foragidos da Interpol no auge da
investigação, agora está no programa de proteção a testemunhas.

A decisão é do juiz Eduardo Appio, da 13.ª Vara Federal
Criminal de Curitiba, que viu ‘risco concreto de vida e segurança’. Ele
determinou que a Polícia Federal (PF) garanta a ‘segurança necessária’ caso o
advogado volte ao Brasil. Tacla Duran vive há anos na Espanha.

“O acusado está sendo encaminhado ao programa
federal de testemunhas protegidas por conta do grande poderia político e
econômico dos envolvidos, sendo certo que toda e qualquer medida somente será
apreciada por este Juízo Federal em caso de risco concreto à visa e/ou
segurança das testemunhas e autoridades envolvidas”, diz um trecho da
decisão.

Ex-advogado da Odebrecht, apontado pela Lava Jato como
operador financeiro da construtora em esquemas de corrupção, Tacla Duran foi
ouvido por autoridades brasileiras pela primeira vez nesta segunda-feira, 27,
em uma audiência por videoconferência.

Ele voltou a antagonizar com o senador Sérgio Moro
(União-PR), ex-juiz da Lava Jato, a quem acusou de parcialidade, e com o
deputado Deltan Dallagnol (Podemos-PR), que foi coordenador da força-tarefa. As
acusações serão analisadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“As autoridades que passaram pelo processo pensavam
que eu estava apostando na estratégia da prescrição, que eu não queria me
defender, não, nunca foi isso, jamais. Eu só estava esperando ter um juízo
transparente”, afirmou.

“O que estava acontecendo não era um processo
normal, era um bullying processual, onde me fizeram ser processado pelo mesmo
fato em cinco países por uma simples questão de vingança, por eu não ter aceito
ser extorquido”, seguiu.

O advogado afirma que sofreu tentativas de extorsão na
Lava Jato, em troca de facilidades para clientes, e que passou a ser
‘perseguido’ por não compactuar com o que chamou de uma prática ‘comercial
corriqueira’.

“Eu não cedi, até porque eu nunca admiti criminalizar
a advocacia ou a minha profissão. Eu não entreguei cliente meu intimidado,
ameaçado para ser preso. Esse é o problema aqui na origem”, seguiu.

Tacla Duran apresentou à Justiça fotos e gravações que
comprovariam a versão. Ele implicou o advogado Carlos Zucolotto Junior, sócio
da deputada Rosângela Moro e amigo próximo do senador, e o empresário Fábio
Aguayo na suposta tentativa de extorsão.

A menção a Sérgio Moro e a Deltan Dallagnol, que têm
prerrogativa de foro privilegiado, levou o juiz Eduardo Appio a encaminhar o
caso para a segunda instância.

“Eu me desligou desse processo, porque aí há menção
a pessoas com foro privilegiado, no caso tanto o senador Sérgio Moro quanto o
deputado federal Deltan Dallagnol. Eu me desligo e agora quem conduz essa
questão, até para não criar um impedimento meu, é a Polícia Federal”,
explicou o juiz.

COM A PALAVRA, O SENADOR SÉRGIO MORO

“Trata-se de uma pessoa que, após inicialmente
negar, confessou depois lavar profissionalmente dinheiro para a Odebrecht e
teve a prisão preventiva decretada na Lava Jato. Desde 2017 faz acusações
falsas, sem qualquer prova, salvo as que ele mesmo fabricou. Tenta desde 2020
fazer delação premiada junto à Procuradoria Geral da República, sem sucesso.
Por ausência de provas, o procedimento na PGR foi arquivado em 9/6/22.

O senador não teme qualquer investigação, mas lamenta o
uso político de calúnias feitas por criminoso confesso e destituído de
credibilidade.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Ministro Barroso afirma que a alternância de poder é uma parte essencial da vida.
Ministro Barroso afirma que a alternância de poder é uma parte essencial da vida.
Lula busca sintonia com Lira para tocar acordos
Lula busca sintonia com Lira para tocar acordos
Decisão do STF contra réus do 8/1 é criticada por dupla punição e deve ser alvo de recursos
Decisão do STF contra réus do 8/1 é criticada por dupla punição e deve ser alvo de recursos
TCU pede informações ao governo sobre ações de combate a fraudes em compras internacionais
TCU pede informações ao governo sobre ações de combate a fraudes em compras internacionais
MARCO TEMPORAL
Marco temporal: a histórica vitória dos indígenas no Supremo
DINO
Lula é alertado sobre uma consequência negativa de indicar Dino ao STF
LULA
Lira alerta que governo deve ter cuidados com "excessos" da PF
LULA
Presidente Lula participa de jantar com empresários em Nova York
CONGRESSO
Candidaturas de mulheres e negros sob ataque em propostas no Congresso
voo
Lula vai para Cuba e Estados Unidos, e passa Presidência a Alckmin
RODRIGO
Senado vai apresentar PEC para criminalizar porte de drogas
XANDE
8/1: Defesa de acusado diz que julgamento é político; Moraes rebate

Brasília sediará Congresso Internacional Cidades Lixo Zero

O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) se une a especialistas globais para promover práticas sustentáveis e políticas de lixo zero Entre 25 e 27 de junho, Brasília será o palco da terceira edição do Congresso Internacional Cidades Lixo Zero. O evento, que será realizado no Museu Nacional da República, conta

Leia mais...

Mais de 1,5 milhão de pessoas atendidas pelos programas sociais do GDF

Do Cartão Prato Cheio ao Cartão Gás, passando pela Política de Assistência Estudantil, benefícios geraram, desde 2019, investimento de R$ 1,9 bilhão, beneficiando famílias em situação de vulnerabilidade social e impulsionando a economia Investir em pessoas e no desenvolvimento delas é uma ação perene do Governo do Distrito Federal (GDF).

Leia mais...

STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS

Sessão virtual começou hoje e vai até 28 de junho. O Supremo Tribunal Federal (STF) (foto) retomou nesta sexta-feira (21), em Brasília, a discussão sobre o atendimento de pessoas transexuais no Sistema Único de Saúde (SUS).  A Corte julga em plenário virtual a liminar proferida em 2021 pelo ministro Gilmar

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.