16/06/2024

Queda no preço de automóveis não contempla todo o mercado

Especialistas explicam o que muda e o que falta para consumidor ter acesso ao carro zero quilômetro

O vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, anunciou, na última quinta-feira (25/5), uma redução no valor de venda de automóveis zero quilômetro. Para especialistas, a medida pode ter como resultado um aumento nas vendas de automóveis no país, embora não contemple toda a cadeia envolvida no setor.

A medida será feita por meio de um desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e deve resultar em reduções de 1,5% a 10,79%, de acordo com critérios de preço, eficiência energética e densidade industrial no país.

Desde o início da pandemia de covid-19, a indústria de automóveis vem sofrendo para se recuperar de diversas intercorrências, como a crise na fabricação de chips e consequente falta de componentes de produção. Por isso, o anúncio do governo federal tem um efeito positivo na expectativa de diversas frentes do mercado. Para o presidente da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), Enilson Espínola Sales de Souza, “favorecer a indústria e, consequentemente, o comércio de carro zero km é muito importante. Por outro lado, a Fenauto espera que o governo olhe também para os revendedores de seminovos e usados, de modo a contribuir com a cadeia como um todo”, afirma. Ele lembra que, em um futuro próximo, esse impacto também poderá ser sentido no subsetor de seminovos na mesma categoria que está sendo contemplada agora, a de veículos mais baratos.

Medida pode reduzir taxa de desemprego

De acordo com a economista e professora do curso de Economia da Universidade Positivo (UP), Adriana Ripka, esse é o tipo de medida que pode contribuir para a recuperação econômica do país, gerando empregos, por exemplo. “A discussão feita pelo governo com representantes do setor de automóveis levantou uma série de possíveis medidas que não se resumem a reduzir os preços dos carros ditos populares, mas também a viabilizar o acesso a eles pela população menos favorecida por meio do crédito”, detalha. Esse movimento busca claramente uma retomada do setor. “De forma geral, as possibilidades mencionadas giram em torno de três questões principais: sociais, de eficiência energética e de densidade industrial”, completa.

Ela avalia que, em conjunto, essas medidas podem trazer formas diversas de aquecimento da economia, visto que dão estabilidade aos trabalhadores já contratados por essa indústria e, ao mesmo tempo, criam novos empregos. De fato, depois do anúncio feito pelo governo federal, três montadoras confidenciaram à Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) que desistiram dos layoffs que estavam previstos. A afirmação foi feita pelo presidente da entidade, Márcio Lima Leite, durante o Dia da Indústria, celebrado na semana passada.

Mercado celebra decisão e busca se adaptar

Outra consequência imediata dessa medida pode ser uma nova onda de crescimento no número de financiamentos contratados no país. Para Luís Otávio Matias, vice-presidente da Tecnobank, especializada em tecnologia para registro de contratos de financiamentos, esse tipo de incentivo traz uma mudança de humor e senso de oportunidade dos consumidores. “Isso, por si só, já cria um estímulo para o mercado”, avalia. Ele ressalta que a forma como o incentivo será dado, privilegiando veículos com mais peças nacionais, é muito importante para um processo de reindustrialização. “A preferência para carros com combustíveis menos poluentes também tem um peso significativo para o estímulo à redução de danos ambientais”, comenta.

No novo cenário, com redução dos preços de automóveis, as concessionárias buscam alternativas para acompanhar a demanda. Segundo especialistas da Dealersites, startup que lidera a digitalização do setor automotivo no Brasil, a saída é apostar em sistemas híbridos, que têm o digital como pontapé inicial na jornada de compra. Essa tendência é alcançada a partir do trabalho de startups e empresas de tecnologia que trazem soluções para dentro dos processos, com aplicativos, sites responsivos, canais de atendimento ou assistentes virtuais. “A oferta de carros mais acessíveis e a competição acirrada entre montadoras traz um estímulo para dentro do setor e impacta diretamente nas concessionárias, que cada vez mais devem combinar elementos do mundo virtual com o do físico para personalizar a relação com o cliente”, analisa Marcos Pavesi, head comercial da Dealersites.

O conceito de comprar e vender carros mudou muito nas últimas décadas. Se antes as concessionárias precisavam dispor de vários modelos de veículos, hoje, os vendedores vêem na internet uma forma de driblar a concorrência. Para Marcos Pavesi, o momento é de digitalizar as operações para acompanhar a evolução do mercado, com o foco na implementação de ferramentas que priorizam a inovação. “Ao longo da pandemia, as concessionárias precisaram dar passos largos rumo à digitalização para acompanhar a mudança de comportamento do consumidor, que agora passa cerca de 90% da jornada de compra em meios digitais”, complementa.

Se antes as concessionárias precisavam dispor de vários modelos de veículos, hoje, os vendedores vêem na internet uma forma de driblar a concorrência.

(crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7R contabilidade e assessoria empresarial Santa Maria Brasilia DF
Leia também
Copa do Brasil: ministérios fazem ação conjunta contra racismo no futebol
Copa do Brasil: ministérios fazem ação conjunta contra racismo no futebol
VACINA
Dengue: Butantan desenvolve vacina em dose única
MARCO TEMPORAL
Com 5 a 2 contra o Marco Temporal, STF retoma análise do tema na 5ª
MORAES
Moraes manda soltar 4 presos por suspeita de fraude em cartões
BAHIA
Sobe para 9 número de suspeitos mortos em operação policial na Bahia
PREFEITO CASTRADOR
Solidariedade expulsa prefeito que sugeriu castrar mulheres no RJ
rio
Prefeito de cidade no RJ sugere castrar mulheres para controlar nascimentos
BRASIL
Ministério cria GT para frear violência contra indígenas no Amazonas
LULA
Lula anuncia que prefeituras vão receber, no mínimo, repasses de 2022
NUNES
Nunes Marques vota para condenar réu do 8 de janeiro a 2 anos e seis meses de prisão
LULU
Lula dá posse a novos ministros em cerimônia fechada no Planalto
RS
Sobe para 47 número de mortos pelas chuvas no Rio Grande do Sul

Justiça expede mandado de prisão contra Maurício Sampaio

Defesa prepara um novo habeas corpus O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) expediu na tarde desta sexta-feira (14), os mandados de prisão de Maurício Sampaio e policial militar reformado Ademá Figueiredo, condenados pelo assassinato do radialista Valério Luiz de Oliveira em 2012. O despacho foi assinado pelo juiz Lourival

Leia mais...

A sua privacidade é importante para o Tribuna Livre Brasil. Nossa política de privacidade visa garantir a transparência e segurança no tratamento de seus dados pessoais.